CATEGORIAS

BLOG DE NOTICIAS

Idosos aprendem mais sobre prevenção ao Alzheimer durante palestra no Parque da Pessoa Idosa

19 de September de 2019 às 16:32min | Idosos, Sedes

Médica geriatra Paula Curado durante palestra

Eliene Campelo

Regiane Rocha

Profissionais de saúde se reuniram e realizaram palestra e  dinâmicas com os idosos e seus familiares


Alertar as pessoas da necessidade de cuidar melhor do seu cérebro e não apenas das outras partes do corpo, esse é o objetivo da ação denominada ‘Ame o seu cérebro’ desenvolvida na manhã desta quinta-feira, 19, no Parque da Pessoa Idosa Francisco Xavier de Oliveira, pela médica geriatra Paula Curado juntamente com uma equipe da empresa Liss Care. Mais de 80 idosos participaram das atividades e aprenderam um pouco mais sobre memória e envelhecimento.


“Existem vários tipos de demência e o Alzheimer é a mais comum no Brasil, causando perda de memória e mudanças de comportamento nos idosos. Dia 21 de setembro é o Dia Mundial de Conscientização do Alzheimer e por isso estamos realizando essa ação, chamada ‘Ame o seu Cérebro’ pelo segundo ano consecutivo”, explicou Paula Curado.


A geriatra destacou que veio ao Parque da Pessoa Idosa não “falar de doença”, mas,  falar de vida. “Viemos trazer informações e exemplos de atitudes e cuidados que podem ser inseridos no dia a dia destas pessoas para fortalecer a sua memória e prevenir as demências. Estar aqui num lugar como este parque, ter amigos, socializar, praticar atividades físicas, participar de atividades que demandam memorização e raciocínio lógico são fatores muito importantes na prevenção de doenças como o Alzheimer”, disse a profissional.


A dona de casa, Marilene Batista Ferreira, cuida da mãe, Maria Rodrigues Ferreira de 85 anos, diagnosticada com Alzheimer há nove anos. “No caso da minha mãe quem percebeu as mudanças no comportamento dela foi minha irmã, então por ter sido ainda no começo, conseguimos que a doença não evoluísse muito. Ela toma medicação, faz acompanhamento com neurologista e psiquiatra, então estamos sempre atentos. O mais importante para nós é que ela participe de atividades aqui no Parque, que ela possa ter a rotina dela, ela é costureira e adora fazer parte do grupo do Ateliê que funciona aqui”, contou a filha de dona Maria.


Já a aposentada, Mariana Araújo, de 73 anos que também participou do evento ‘Ame o seu cérebro’ contou que já foi ao médico por achar que estava perdendo a memória. “Mas ele me disse que está tudo normal, que o meu esquecimento é normal, não é uma doença nem precisa de remédio. Só pediu para eu ficar atenta e viver a vida”, disse dona Mariana acrescentando que faz parte dos grupos de atividades física e do ‘Vó Vôlei’ que existem no Parque.


“O objetivo desta ação é realmente este, trazer essa consciência para os idosos e as famílias da necessidade de ter uma vida saudável, com muito esporte, lazer, atividades lúdicas e que ativam o cérebro, a memória. Os idosos bem informados sabem se cuidar melhor”, destacou a gerente do Parque da Pessoa Idosa, Silvanete Mota, acrescentando que a presença das famílias juntamente com os idosos nestas atividades é muito importante. “Eles se sentem mais valorizados e o carinho é um fator muito importante nesta etapa da vida” concluiu.

 

Dia Mundial de Conscientização do Alzheimer

 

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu em 1994 o dia 21 de setembro como o Dia Mundial da Doença de Alzheimer com o objetivo de divulgar para a população informações relacionadas a essa doença como orientações sobre prevenção, causas e tratamento.

 


A doença de Alzheimer é a mais comum das demências. Trata-se de uma doença crônica, neurodegenerativa e de caráter progressivo. Geralmente a perda de memória é o primeiro sinal a ser percebido pelos pacientes e seus familiares.

 


Alguns fatores como idade, genética, deficiência cognitiva leve, doenças cardiovasculares, ou membros da família com Alzheimer e traumatismo craniano podem expor a pessoa a um maior risco de desenvolver a doença.

 


Ao evoluir, o Alzheimer leva o paciente à perda de autonomia, perda de memória e, quando em estágio avançado, é necessário um acompanhamento regular da pessoa.

 

No evento desta quinta, 19, participaram 115 idosos.


Voltar