Após lançar Jardim Botânico, Prefeitura de Palmas apresenta programação especial para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Georgethe Pinheiro | Publicado em 04 de junho de 2020 às 23:05

Nesta quinta-feira, 04, a FMA lançou os Projetos da Área de Pesquisa e Jardim Botânico da Capital que serão instalados na região do Córrego do Prata


Nesta sexta-feira, 05, data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, a Prefeitura de Palmas, por meio da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA), lança o Projeto Água Viva e assina junto com a Associação Brasileira de Recuperação Energética (Abren) o Protocolo de Intenções para elaboração de um estudo de viabilidade econômica para a implantação de uma usina de reaproveitamento do lixo com fins de geração de energia, empreendimento que será executado na forma de Parceria Público Privada (PPP). A ação vai acontecer às 17 horas, no Gabinete II da prefeita Cinthia Ribeiro, localizado no Orquidário Municipal (antigo AMA).

 

Também está prevista a apresentação da Instrução Normativa da FMA que dispõe sobre os processos de licenciamento ambiental de empreendimentos de geração de energia elétrica por fonte solar fotovoltaica. Ainda na mesma ocasião será apresentado o Projeto e Arranjo do Parque Solar, da Secretaria Municipal Extraordinária de Assuntos Estratégicos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis.

 

Programação

 

Já no final da tarde desta quinta-feira, 04, a presidente da FMA, Jacqueline Vieira, lançou o projeto da Área de Pesquisa e do Jardim Botânico de Palmas, que serão instalados na Área Verde Urbana (AVU) do Prata. A programação faz parte da Semana do Meio Ambiente de Palmas.

 

Jardim Botânico

 

O Jardim Botânico de Palmas é uma área protegida, onde serão mantidas coleções de plantas cientificamente reconhecidas, organizadas, documentadas e identificadas, com a finalidade de estudo, pesquisa e documentação do patrimônio florístico local e nacional. O espaço ocupará uma das áreas de 33.91 hectares.

 

Entre as funções do Jardim Botânico constam a conservação, preservação, resgate e banco genético das espécies do domínio Cerrado, incluindo todas as suas formações vegetais (savana, floresta estacional sem decídua, floresta estacional decídua, campo úmido, mata ciliar, mata de galeria, mata seca, palmeiral, veredas, campo rupestre, cerrado sentido restrito e cerradão).

 

Área de Pesquisa

 

Já a Área de Pesquisa vai ocupar um espaço de 133.24 hectares e será destinada a promover a execução de Políticas Públicas Ambientais, voltadas a pesquisa, programas e projetos de conservação, recuperação e restauração da flora, fauna e fatores abióticos locais.