Brigadistas são qualificados para recuperação de áreas atingidas pelas queimadas

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Georgethe Pinheiro | Publicado em 07 de outubro de 2022 às 14:37

Estratégia é plantar árvores da flora original para proteger e recompor locais que afetados pelo fogo

Com a proximidade do período chuvoso, o Comitê Municipal de Prevenção e Combate às Queimadas (PrevIncêndio), por meio da Defesa Civil do Município e da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) já inicia a etapa de recuperação das áreas que foram atingidas pelas queimadas. Nesse sentido, foi realizada nesta sexta-feira, 7, a primeira qualificação de brigadistas sobre o plantio de árvores em áreas degradadas, que será executado pelo PrevIncêndio com mudas de árvores produzidas no Viveiro Municipal.

A qualificação oferecida para os membros da Brigada Permanente de Combate a Incêndios da Defesa Civil de Palmas foi organizada pela Gerência de Educação Ambiental da FMA e ministrada pelo engenheiro agrônomo Roberto Campos, que é o responsável pelo Viveiro Municipal.

Na ocasião, Campos explicou que uma área preservada ou recuperada com espécies de sua flora original tem muito mais condições de responder melhor aos impactos causados pelas queimadas e incêndios. “A vegetação nativa ou preservada ajuda a conservar e proteger o meio ambiente”, destacou.

O presidente da Fundação de Meio Ambiente e do PrevIncêndio, Carlos Braga, lembrou que a ação faz parte de um conjunto de atividades que o Município mantém para minimizar os danos sofridos em consequência das queimadas. “O PrevIncêndio tem o compromisso de trabalhar para minimizar os impactos do fogo no meio ambiente de Palmas e entorno”, destacou Braga.

Já o superintendente da Defesa Civil Bruno Maciel Grama explicou que o plantio de árvores para recuperar áreas degradadas faz parte da política municipal de enfrentamento às queimadas. “Nosso trabalho prevê três etapas, o de prevenção, cujo foco é a conscientização do cidadão, o de combate e o de recuperação de áreas degradadas, que ajuda a recompor locais atingidos pelo fogo”, enumerou Bruno Grama.