Capivaras do Parque Cesamar são castradas para controle populacional

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 25 de outubro de 2019 às 12:06

A previsão é que elas já retornem ao seu habitat habitual na manhã deste sábado, 26

Nesta sexta-feira, 25, duas capivaras foram devidamente manejadas da área do Parque Cesamar para serem submetidas ao processo de castração, no intuito de fazer o controle populacional da espécie no parque. A previsão é que elas já retornem ao seu habitat habitual na manhã deste sábado, 26.  A ação é coordenada pela Fundação Municipal de Meio Ambiente, com a parceria de várias entidades e órgãos, e a cirurgia foi realizada na clínica veterinária da Universidade Católica do Tocantins.

 

Segundo o Plano de Manejo das Capivaras, apresentado no mês de agosto durante o 'I Simpósio sobre Manejo Populacional de Capivaras', no último ano, houve um aumento populacional dos animais no Parque Cesamar em 68%, ou seja, subiu de 74 animais para 150 em apenas um ano.

 

Durante o simpósio os profissionais receberam capacitação sobre a forma correta de fazer a captura sem causar estresse ou sofrimento ao animal. Segundo a diretora de Controle Ambiental da FMA, Bruna Almeida, outras capivaras também passaram pelo processo de castração. “A previsão é de que outras capivaras também passem pelo procedimento, mas tudo isso requer uma logística grande para que o animal não passe por sofrimento”, destacou a diretora.

 

A diretora também frisou que a castração é um dos métodos de controle populacional apontado pelo Plano de Manejo de Palmas, para que a número de capivaras não ultrapasse o limite que o Parque Cesamar possa suportar, a fim de que as capivaras e as pessoas possam conviver em harmonia. “Uma vez que uma capivara fêmea pode ter até três gestações ao ano, e cada gestação pode resultar em média quatro filhotes, mas esse número pode ser ainda maior”.

 

 

Edição: Iara Cruz