Choro e gratidão marcam embarque de famílias indígenas Warao para Venezuela

Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social

Autor: Eliene Campelo | Publicado em 17 de setembro de 2022 às 05:35

Embarque de 43 venezuelanos acontece na tarde desta sexta, 16

Estamos muito felizes em retornar para nossas famílias, ver nossos  parentes, nosso povo.” Com os olhos cheios de lágrimas e a voz embargada de emoção, a  indígena Warao, Ermínia Ratti Estrella, disse essas palavras, enquanto se dirigia para a van que a levaria ao Aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, onde embarcou às 17h desta sexta-feira, 16, em uma longa jornada até as terras venezuelanas.

O senhor José Luiz Jimenez, esposo de dona Ermínia, também estava emocionado, ele contou que deixou filhos e muitos netos para trás, quando decidiu vir para o Brasil em 2019. “Estamos sofrendo muita saudade, sabemos que nosso país está em crise, mas o desejo de estar com meus filhos e netos é muito grande. Agradeço a Deus o apoio local de todos que estão nos levando para casa”, destacou.

O indígena Giovanni Wailfredo Ramos também embarcou com sua família para a Venezuela, mas disse que leva no coração lembranças das ações de solidariedade e carinho que recebeu dos palmenses. “Só temos que agradecer, fomos abrigados por pessoas da comunidade, depois pela equipe da Prefeitura e, em todo o momento, fomos bem tratados, com muito respeito. Hoje nosso coração está em festa e vamos recomeçar junto aos nossos irmãos, na Venezuela ``, pontuou.

O grupo de viajantes é composto por 43 indígenas venezuelanos da etnia Warao, formando dez famílias. Todos tomaram a decisão de deixar Palmas e retornar para sua pátria.

"Essa é uma operação humanitária da Prefeitura de Palmas, onde levamos em consideração fatores emocionais, econômicos e culturais; Eles desejam reativar os laços com seus familiares e com suas origens, então a gestão, juntamente com o governo do estado os apoiou e assim, puderam iniciar o caminho de volta”, explicou a secretária de Desenvolvimento Social de Palmas, Simone Sandri.

“Agora vamos aguardar o desembarque deles em Boa Vista, Roraima, neste sábado, 17, para que façam o restante do percurso de ônibus e desembarquem em Pacaraíma (RR) antes das 00h. Lá, receberão seus pertences e irão se deslocar para o estado venezuelano Delta Amacuro”, explicou Simone Sandri.

A Operação Acolhida - Retorno Seguro, está sendo coordenada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedes) por meio da Diretoria de Proteção Social Especial sendo realizada em duas etapas.

Na primeira, foram despachadas, em um caminhão da Secretaria do Trabalho e da Assistência Social (Setas) uma tonelada de bagagens que após 8 dias de viagem e três travessias por meio de balsas chegou à fronteira na tarde desta sexta, 16.

“O caminhão saiu de Palmas no dia 09 de setembro, cruzou parte da Amazônia e chegou em paz. Todos os pertences do grupo já os aguardam na fronteira Brasil-Venezuela” disse o técnico de Proteção Social Especial da Setas, Clodoaldo Carvalho responsável pelo transporte.