Cmei Maria Custódia leva chefe de cozinha Rut Almeida para atividade da Semana da Consciência Negra

Secretaria Municipal da Educação

Autor: Redação Semed | Publicado em 25 de novembro de 2023 às 07:05

Foram realizadas atividades como confecção da boneca Abayomi, pulseiras, colares e estudos sobre a culinária e os instrumentos musicais africanos

Nesta sexta-feira, 24, o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Irmã Maria Custódia de Jesus, teve como atração principal da Semana da Consciência Negra, a renomada chef de cozinha Ruth Almeida, que elaborou o arroz de senzala. Durante toda a semana, a unidade educacional trabalhou temas relacionados à cultura afrodescendente com as crianças, com abordagens sobre instrumentos musicais africanos, confecção da boneca Abayomi, pulseiras, colares e a culinária. Rut Almeida é conhecida por ser uma pesquisadora da culinária afro-indígena e embaixadora da gastronomia do Tocantins e brasileira (em 2021). 

Sobre a Semana da Consciência Negra, o Cmei direcionou temas para cada turma, conforme o seu projeto investigativo, ficando os instrumentos musicais africanos com a turma do maternal I; animais da savana africana com o maternal II; a turma da pré-escola I e maternal II ficaram com os os alimentos da culinária africana. As turmas da pré-escola II, ficaram com as músicas, o ritmos, as brincadeiras e também com as joias e personalidades, além da história da África e do povo africano. 

De acordo com a coordenadora pedagógica, Joelma Martins, os alunos do Cmei fizeram exposição de alguns tipos de alimentos, arte, pintura e confeccionaram a boneca Abayomi. Toda a programação será encerrada neste sábado, 25, com a culminância de tudo o que foi realizado durante a semana.

A coordenadora Joelma Martins disse que durante a apresentação da chef Rut Almeida, ela convidou as crianças para participarem da experiência de extrair o leite do coco junto com ela. Depois ela preparou o alimento, um arroz com carne de sol e serviu na folha da bananeira para as crianças. A pesquisadora da culinária afro-indígena falou sobre todo o processo e como funcionava na época da escravidão, que eles não tinham pratos nem talheres e tampouco onde sentar. 

“Da mesma forma as crianças fizeram, e foi muito interessante, surgiram tantas perguntas interessantes. Ficou claro que os alunos gostaram demais, todas as turmas, do maternal à pré-escola II, se sentaram nas folhas de bananeiras e se deliciaram do arroz de senzala da Rut”, destacou.. 

Para finalizar a semana de atividades, está programada a participação da escritora Jardilene Galberto, com contação de história e música, africana. 

 

Texto: Redação Semed
Edição: Secom