Com o apoio dos moradores, Prefeitura se empenha para identificar e eliminar criadouros do Aedes aegypti no Taquari

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 05 de abril de 2019 às 15:36

Mobilização social de combate foi realizada na manhã desta sexta-feira, 05, no Jardim Taquari


Contando com a participação dos moradores, a Prefeitura de Palmas realizou na manhã desta sexta-feira, 05, no Jardim Taquari, mais uma mobilização social de combate aos Aedes aegypti com vistorias aos imóveis residenciais e comerciais, ingresso forçado em imóveis fechados sem morador, ação educativa, limpeza em áreas públicas e recolhimento de galhadas e entulhos. Os trabalhos de vistoria, limpeza e fiscalização continuarão ao longo da próxima semana.



Na casa da operadora de telemarketing, Suzana Alves, estava tudo em ordem. “No momento estou desempregada e aí cuido de algumas crianças de vizinhas que estão trabalhando, tenho todo o cuidado para que elas não adoeçam. A gente não deixa vasilhas ou outros objetos que acumulem água no quintal e graças a Deus aqui ninguém nunca adoeceu”, disse.



O autônomo Jânio Bezerra disse que, por ter filhos pequenos e criar animais como coelhos, cães e aves, toma vários cuidados com seu quintal, mas mesmo assim, o agente encontrou focos num armário que usa para guardar ferramentas. “Ainda bem que vocês vieram aqui e encontraram esse foco, porque como estava coberto com esse tapete achei que não corria o risco de acumular aí. Até porque no dia a dia tomo todo cuidado, coloco garrafas com o bocal para baixo, tampo caixas, e nesse caso realmente não tinha visto, mas agradeço demais o trabalho dos agentes de nos ajudar a identificar os focos”, ressaltou.



O agente de Combate às Endemias, Antônio Francisco, faz o trabalho de orientação à comunidade. “Nosso maior parceiro na luta contra o Aedes é morador, a gente sempre conta com essa parceria para as residências permaneçam limpas, livres de dengue, zika, chikungunya e outras doenças”, lembrou.



A presidente da Associação de Moradores do Jardim Taquari, Eliane Marinho, destacou que a comunidade sempre cobra da Prefeitura ações de limpeza, mas nem sempre faz sua parte. “Mesmo dentro das ocupações aqui do setor, a gente trabalha essa questão de manter tudo limpo para não correr o risco de adoecer. A gente vê as equipes de limpeza aqui roçando e recolhendo entulho, mas pouco tempo depois já está cheio de entulhos novamente. A comunidade tem que colaborar também para o bem dela mesmo”, disse.



Boletim Epidemiológico

 

 

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Grupo Condutor de Arboviroses da Secretaria Municipal de Saúde, nas 13 primeiras semanas do ano, mostra que as notificações de casos de dengue vem diminuindo. O auge foi na semana seis com 836 casos notificados, já na semana 13 foram 467 notificações. Ao longo do ano, foram 8.129 notificações de casos de dengue, com a confirmação de 2.678 casos.



“Os números estão diminuindo, mas não podemos parar esse combate e sozinhos nós não conseguimos, precisamos do envolvimento de todas as pastas da Prefeitura, e principalmente, da ajuda da associação de moradores para mobilizar a comunidade porque se ela não se envolver não vamos ganhar essa guerra”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Daniel Borini.

 

 

Comércios

 

 

Nos estabelecimentos comerciais, o fiscal da Vigilância Sanitária, Cosme César da Silva, ressaltou que no dia a dia já tem o olhar treinado para verificar locais que possam ser criadouros do mosquito. “Dentro dos estabelecimentos quase não tem algo que possa acumular água, mas no pátio a gente está sempre atento a pneus, latarias de carros e outros objetos que possam acumular água, e claro, orientamos os comerciantes também quanto aos riscos de dengue”, disse.



Valdeci Soares é proprietário de uma loja de ferragens e materiais de construção e gosta de receber a visita da fiscalização e dos agentes de Endemias periodicamente. “Todos eles nos orientam bem e eu acredito que aqui esteja com zero por cento de possibilidade de ter focos desse mosquito terrível. Torço mesmo para que erradique todo o risco dessas doenças e acredito que nós, enquanto comunidade, precisamos ajudar senão fica difícil”, concluiu.



A mobilização conta com as parcerias das Secretarias Municipais de Saúde (Semus), da Educação (Semed), de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp), de Desenvolvimento Urbano, Regularização Fundiária e Serviços Regionais (Sedurf), de Desenvolvimento Social (Sedes) e da Comunicação (Secom), além da Fundação de Meio Ambiente, Defesa Civil, Guarda Metropolitana e Associação de Moradores.



 

Edição e postagem: Lorena Karlla