Covid-19: Primeiro caso possível de transmissão comunitária em Palmas reforça a necessidade de medidas de distanciamento social

Secretaria da Saúde

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 14 de abril de 2020 às 18:21

Último paciente confirmado pelo coronavírus (Covid-19) em Palmas não sabe onde foi infectado, equipe da Semus investiga possível contaminação comunitária

A equipe de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), que atua no monitoramento dos casos positivos da Covid-19, investiga possível primeiro caso de transmissão comunitária em Palmas. É porque  até então, o paciente não sabe onde foi contaminado, uma vez que não tem registro de viagem e nem contato com outros casos positivos. Com o vírus já circulando na cidade, o município reforça a necessidade das medidas de distanciamento social e higienização pessoal.

 

O paciente   é um homem com idade entre 40 e 49 anos, divulgado com diagnóstico positivo pelo Boletim Epidemiológico do último domingo, 12, elaborado pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE Palmas Covid-19). O paciente passa bem e já aderiu ao isolamento domiciliar. A Secretaria de Saúde segue investigando quando e por quem o homem foi infectado. A secretaria também está entrando em contato com as pessoas que tiveram contato com ele a partir do surgimento dos sintomas. Quem apresentar sintomas da doença farão exames.

 

Até então, em Palmas a transmissão da doença era tida como local, ou seja todos os casos positivos foram possíveis determinar a rede de contágio, permanecendo em isolamento domiciliar tanto os diagnosticados quantos os que com eles tiveram contato. E sempre acompanhados pela equipe da Semus. A diretora de Vigilância em Saúde, Marta Malheiros, alerta que não sendo mais possível identificar a rota de circulação do vírus, é difícil rastreá-lo e assim conter o avanço dele. "Por isso é muito importante que a população respeite as medidas de distanciamento social e reforce a higienização pessoal".

 

Marta lembra ainda que cabe a cada um se comprometer em não fazer aglomerações. Ela explica que o isolamento domiciliar não pode ser confundido com receber amigos em casa, fazendo pequenas confraternizações, treinar com amigos em parques, chamar colegas para assistir filmes. "Isolamento domiciliar é cada um em sua casa, saindo apenas quando estritamente necessário".

 

Quando a  transmissão passa para a fase de ser comunitária ou sustentada, o contágio pode acontecer em qualquer local, como em supermercados, agências bancárias, ambiente de trabalho, e contato entre amigos. Para conter a propagação do vírus, a Semus alerta que as pessoas precisam respeitar as medidas isolamento. Uma vez que pessoas assintomáticas, ou seja aquelas que não apresentam sintomas da doença, podem estar circulando livremente e contagiando outras pessoas.

 

 

Para o COE, o caso de transmissão comunitária em Palmas pode estar associada à baixa taxa de isolamento, uma vez que pesquisas apontam o Tocantins como sendo o estado do País que menos respeita às medidas de distanciamento, tendo muitas pessoas circulando pelas ruas.

 

A recomendação da Semus para a pessoa que tenha sintoma leves de gripe (tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória, acompanhada ou não de febre), antes mesmo de procurar uma unidade de saúde e realizar o exame comprobatório, é de automaticamente se manter em isolamento domiciliar, respeitando o distanciamento dos demais membros da família, que também devem permanecer em isolamento domiciliar, para evitar possível propagação do vírus. 

 

Coronavírus (Covid-19) em Palmas

 

Palmas tem 16 casos confirmado até o último domingo, 12, 313 casos descartados e 830 casos notificados para síndromes respiratórias, grupo em que estão inclusos os suspeitos de Covid-19. Seis já receberam alta. Dentre os casos confirmados, apenas um requer cuidados intensivos. Uma mulher, com idade entre 40 e 49 anos, internada em hospital particular em quadro grave sem evolução. Não há casos confirmados de óbito relativo à Covid-19 na Capital.