Cras da 407 Norte promove palestra sobre hipertensão e ensina os idosos a fabricarem sal de ervas

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 26 de abril de 2019 às 18:22

Cras da 407 Norte promove palestra sobre hipertensão e ensina os idosos a fabricarem sal de ervas


Um grupo de idosos do setor Santo Amaro, assistidos pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) 407 Norte, participou nesta sexta-feira, 26, de roda de conversa com palestras sobre hipertensão e a importância da carteira do Idoso, dinâmica do abraço e oficina de produção de sal ervas. A ação foi desenvolvida em parceria com a Unidade Básica de Saúde da quadra Arno 71, que levou vacinas H1N1 para os idosos.

 

As vacinas foram feitas pelo enfermeiro da Unidade de Saúde da Arno 71, Leno Rodrigues, que ressaltou a importância do trabalho integrado das Secretarias do Desenvolvimento Social (Sedes) e de Saúde (Semus). “É preciso ter essa parceria entre o Cras e a Unidade de Saúde pois, por intermédio do Cras, nós ampliamos nossos serviços”, relatou. 

 

A palestra sobre hipertensão foi proferida pela nutricionista Sara Verner, que atua no Nasf Kanela I, e aproveitou a oportunidade para ensinar os idosos a fazerem o sal de ervas. “É evidente a importância de ações como esta. Os idosos são participativos e estão sempre buscando mais informações que possam melhorar a saúde. É para isso que estamos aqui hoje, para promover a saúde falando sobre um assunto muito comum entre os idosos, a hipertensão e aproveitamos para fazer uma oficina de sal de ervas, onde ensinamos eles a prepararem um sal diferente utilizando ervas e que pode substituir o sal comum, na alimentação”, pontuou. Ao final da oficina, os idosos foram presenteados, pela nutricionista, com porções do sal fabricados por eles, durante a oficina.

 


Bernadete Alves de Amorim levou a mãe para receber a vacina e disse que se surpreendeu com a ação. “O atendimento foi muito bom, ficamos felizes em esclarecer as dúvidas com a nutricionista, pois tudo que ela falou é muito importante a gente saber, não só sobre a questão de alimentação, mas também as questões emocionais e psicológicas”, frisou. Sobre os serviços ofertados pelo Cras, Bernadete disse que faz toda diferença para sua família, pois oportuniza o acesso aos serviços essenciais como a vacinação, por exemplo. “Minha mãe é cadeirante, não temos carro e nem como sair de casa e aqui recebemos a vacina e ainda tivermos a oportunidade de interagir com outras pessoas, isso faz a diferença”, concluiu.

 


Para a coordenadora do Cras, Silvana Cristina, trabalhar em pareceria com outros órgãos e instituições é essencial. “Estamos sempre buscando novas parcerias com empresas públicas, privadas e instituições como o Sesi e o Senai, além de voluntários. As equipes de saúde como as do Núcleo de Apoio à saúde da família (Nasf) são grandes parceiras e nos possibilita oferecer o melhor serviço para a comunidade, além de atender os idosos que não conseguem se deslocar ate a unidade de saúde”, finalizou.