Cuidado com a dengue: Agentes de endemias e Vigilância Sanitária vistoriam imóveis comerciais do Centro da Capital

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 18 de janeiro de 2019 às 14:55

Durante as visitas os agentes encontraram larvas do mosquito da dengue em grande parte dos climatizadores dos estabelecimentos comerciais  


O foco da ação de prevenção, controle e eliminação de criadouros do mosquito da dengue, que vem sendo realizada nesta sexta-feira, 18, pela Prefeitura de Palmas, através da Secretaria Municipal de Saúde, foram os estabelecimentos comerciais do Centro da Capital, situados na quadra ACNE 1. Equipes da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ) e da Vigilância Sanitária de Palmas estão passando em cada um dos comércios desta região para vistoriar e eliminar possíveis criadouros de larvas do mosquito Aedes aegypti, como calhas, climatizadores, ralos, plantas, entres outros pontos que podem acumular água.



Logo no primeiro estabelecimento visitado, os agentes de saúde encontraram nos aparelhos de climatização um grande número de larvas no reservatório de água do equipamento. Assustado o proprietário do comércio explicou que não imaginava que naquele local poderia servir para a reprodução do mosquito. Com a constatação do perigo no espaço, os agentes esvaziaram todos os reservatórios dos aparelhos e orientaram os donos do comércio à limpar os recipientes com frequência e principalmente não baixar a guarda com a vigilância.



O engenheiro químico e inspetor da Vigilância Sanitária, Cosme Cézar, explicou que a meta é vistoriar todos os estabelecimentos comerciais da cidade dando prioridade, neste início, aos que estão localizados nas regiões consideradas endêmicas devido ao número de notificações. “As vistorias são realizadas pela Vigilância e Controle de Zoonoses periodicamente, mas neste momento fazendo essa ação em conjunto com mais força nos imóveis especiais que podem gerar o risco de transmissão, por serem locais onde têm um volume maior incidência de doença. Precisamos chamar atenção dos comerciantes e também de toda a população da importância do cuidado e da prevenção para que a nossa cidade elimine os criadouros do mosquito”, orienta o técnico.



A bióloga da UVCZ, Lana Rúbia, também lembra que as vistorias nos imóveis comerciais e residências já fazem parte da rotina dos agentes, mas que devido o alto número de notificações de casos de dengue em Palmas nesses últimos dias, a Secretaria de Saúde vai intensificar os cuidados. “Os cuidados diários em não deixar água parada são fundamentais para eliminar os focos do mosquito. Especialmente neste período de chuva. Observamos que houve um aumento significativo nos casos de dengue na nossa cidade. Precisamos orientar, vistoriar e até mesmo notificar o responsável em armazenar de forma inadequada materiais que podem acumular água servindo de criadouro para o mosquito”, enfatiza a especialista.



Dona Margareth Brandão da Silva é comerciante em Palmas há mais de 25 anos, e por ser também moradora da cidade e entender dos perigos da dengue, Zika e chikungunya, ela tem a mesma rigidez que as equipes da Prefeitura no combate aos criadouros do mosquito. “Procuro estar atenta, monitorando a limpeza, a manutenção dos aparelhos, além de ficar de olho nos espaços que estão a minha volta. Acho que todos devem ser responsáveis pelo cuidado em não deixar acumular água em lugares que o mosquito pode se reproduzir”, lembra reforçando que a responsabilidade é de todos, não somente do serviço público como muitos pensam.

 

 


 

 

Edição e postagem: Lorena Karlla