Curso ‘Prescrever’ fala sobre resolutividade de problemas comuns com orientação profissional do farmacêutico

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 04 de dezembro de 2021 às 11:55

Azia, má digestão, constipação, são alguns dos assuntos do Módulo III: cuidados gastrointestinais

Orientar pacientes a tratar sintomas gastrointestinais foi o foco do terceiro módulo do curso ‘Prescrever em Problemas de Saúde Autolimitados’ iniciado na manhã desta sexta-feira, 03, no auditório da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) pelo consultor do Conselho Federal de Farmácia (CFF), professor Doutor em Ciências Farmacêuticas, Gabriel Rodrigues Martins de Freitas. As aulas seguem até este sábado, 04, das 8 às 18 horas.

Condições gastrointestinais como azia, má digestão, refluxo, constipação, hemorróida, diarréia e outros sintomas relacionados a infecções patogênicas como dor de cabeça, tosse, febre, dor de garganta, todos estes, considerados problemas autolimitados, com duração de sete a quatorze dias são temas em debate. O professor Gabriel de Freitas explicou que cada país conta com uma relação de medicamentos isentos de prescrição (MIPs), e que o farmacêutico pode atuar de maneira mais efetiva já que a farmácia é o ponto de atenção à saúde mais distribuído no Brasil, são cerca de 90 mil farmácias.

“Este módulo aborda um tema comum que chega nas farmácias e temos aqui a oportunidade de nos qualificarmos para melhor orientar os pacientes, avaliando os sinais e sintomas como tempo de dor que pode nos guiar tanto na orientação da medicação adequada ou até mesmo no encaminhamento do paciente ao médico. Por exemplo, se o paciente se queixar de dor há muito tempo no estômago pode ser uma úlcera ou a bactéria Helicobacter pylori que é umas das causadoras da gastrite ou até mesmo outro problema que o médico deve investigar e tratar. Mas na farmácia, o paciente pode contar com a orientação do profissional do farmacêutico o encaminhamento adequado ao invés de ingerir qualquer medicação indiscriminadamente e acabar agravando ainda mais seu quadro”, pontuou o farmacêutico do Núcleo de Apoio Técnico Judicial da Semus, Vidal Gonzalez.

A servidora da Divisão de Educação Permanente da Fesp, farmacêutica Marta Rocha, reitera que a venda de medicamentos só com indicações na farmácia sem prescrição do profissional farmacêutico, e sem esse se responsabilizar pelo acompanhamento farmacoterapêutico, pode mascarar problemas de saúde sérios no paciente podendo levar o paciente a uma internação por intoxicação, por interação medicamentosa e/ou reações adversas sérias e perigosas, provocando internações, busca excessiva por unidades de saúde e contribuem para a sobrecarga do sistema de saúde, por uso indevido de medicação.

Na ocasião, a servidora representou a presidente da Fesp e conselheira federal de Farmácia, Marttha Ramos, na entrega de aproximadamente 60 exemplares do livro Algoritmos de Prática Clínica elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre Educação Permanente do CFF. A versão on-line pode ser acessada aqui

 

Próximo encontro

Ao todo são seis módulos e o Módulo IV: Condições dermatológicas está previsto para acontecer nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2022. O curso tem carga horária total de 96 horas e visa capacitar farmacêuticos a prescreverem medicamentos isentos de prescrição (MIPs). Na Capital, a realização é fruto de uma parceria com a Prefeitura de Palmas, por meio da Fundação Escola de Saúde Pública (Fesp), Conselho Federal de Farmácia (CFF), e o Conselho Regional de Farmácia (CRF-TO).

 

Módulos do curso

Introdução à prescrição - 29 e 30/10/21

Condições respiratórias - 12 e 13/11/21

Condições gastrointestinais - 03 e 04/12/21

Condições dermatológicas - 18 e 19/02/22

Condições genito-urinatárias/ condições dolorosas e inflamatórias - 18 e 19/03/22

Cessação tabágica - 08 e 09/04/22