Curso sobre notificação imediata de doenças e agravos é iniciado na Fesp

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 24 de novembro de 2021 às 14:36

Formação começou nesta quarta, 24, e segue até esta quinta, das 8 às 18 horas, no auditório da Fundação

A Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), por meio da Divisão de Educação Permanente, deu início na manhã desta quarta-feira, 24, ao curso ‘Notificação Imediata de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória e de Interesse Municipal’. A capacitação é uma parceria com a Secretaria da Saúde (Semus), por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), e segue até essa quinta-feira, 25.

A coordenadora do Cievs, Ana Paula Marques, explica que o Centro é o articulador para uma resposta oportuna e coordenada para evitar novos casos ou óbitos, e que o curso discute sobre as notificações imediatas que precisam ser notificadas em 24 horas. “Temos agravos, doenças infectocontagiosas, por exemplo, que precisam ter a cadeia de transmissão quebrada para evitar um surto. Ou ainda evento inusitado ou agravo desconhecido, como os desastres naturais ou não”, pontuou.

“Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde é um nome muito empoderado, de muita responsabilidade, empoderado de ações, e que às vezes causas estranhamento nas pessoas, mas que abre muitas possibilidades de ação e ao mesmo tempo uma gama de possibilidade de oportunidades, de responsabilidades de vários setores, em diversos eventos, a exemplo de danos ambientais”, declarou a doutora em Ciências da Saúde, enfermeira da equipe de Sistema de Informação em Saúde e da Unidade de Resposta Rápida (URR), Patrícia Nomellini, primeira palestrante do curso. “Há uma relação bem ampla de ações, a depender do evento no que pode ser causador de dano nas cidades e tudo deve ser notificado no Cievs”, continuou a palestrante.

 

Objetivo

Participam do curso os trabalhadores da Rede Municipal de Saúde, com o objetivo de aproximar os profissionais através do acolhimento e da dinâmica de apresentação; informar sobre as doenças e agravos que são de notificação imediata e de interesse municipal; apresentar a estrutura e função da equipe do Cievs e Unidade de Respostas Rápidas (URR) e proporcionar discussões reflexivas que possibilitem a informação oportuna e o desencadeamento de ações nas situações de agravos de notificação imediata e de interesse municipal.

O Cievs faz parte da rede de alerta e respostas rápidas às emergências em saúde públicas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. “Dessa forma, atendemos regulamento sanitário internacional que foi atualizado com a pandemia do novo coronavírus e que nos remete a uma série de estratégias que são montadas para reduzir potencial de transmissão de uma doença de forma coletiva a outras populações que estão mais vulneráveis. Outras doenças, como febre amarela, cólera, peste, também são de interesse internacional e são monitoradas pelo Cievs”, destacou Patrícia.

O curso contará ainda com a palestra da coordenadora do Cievs, Ana Paula Marques, e terá a contribuição da apoiadora do Cievs pelo Ministério da Saúde, Alexsandra Cardoso.

 

Cievs

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde funciona como ferramenta de trabalho fundamental para coordenar o sistema nacional de vigilância em saúde do País. Seu foco principal é o acompanhamento de um conjunto de doenças que, pelo seu elevado potencial de disseminação e/ou riscos à saúde pública, necessitam de acompanhamento por parte do Ministério da Saúde. Também está incluída a ocorrência de "agravos inusitados", que são casos ou óbitos de doença de origem desconhecida ou alteração no padrão epidemiológico de doença conhecida.

O trabalho do Cievs permite à Secretaria Municipal de Saúde ter condições de adotar, de forma ágil, as medidas adequadas para a investigação epidemiológica e bloqueio da disseminação de doenças. (Com informações do Ministério da Saúde)