Dia da Mulher - Com mais de 65% de trabalhadoras na Semus, série de reportagens aborda personagens que se destacam durante trabalho na pandemia

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus/ Edição: Lorena Karlla | Publicado em 08 de março de 2021 às 18:04

Marta Malheiros abre série de reportagens alusivas ao Dia da Mulher

“O Dia da Mulher, de todas as mulheres, me traz um semblante de que somos muitas nesse combate, muitas de nós estamos à frente das tomadas de decisões e muitas de nós estamos estudando e trabalhando contra os males que a pandemia trouxe, e eu fico feliz que faço parte do grupo de mulheres da Semus”. As palavras são da servidora Marta Malheiros, uma das trabalhadoras do SUS e a primeira personagem da Secretaria da Saúde na série de reportagens alusivas ao Dia da Mulher sobre servidoras que atuam no enfrentamento à pandemia da Covid-19.


Servidora de carreira, Marta integra a rede municipal de saúde há mais de 15 anos e, atualmente exercendo a função de diretora da Vigilância em Saúde, se dedica diuturnamente nessa batalha invisível mesmo tendo um filho pequeno, o João Pedro, de 11 anos, que fica com sua funcionária logo nas primeiras horas dia quando vai para a Secretaria da Saúde trabalhar nos dados epidemiológicos, dentre outras tantas demandas que lhes são atribuídas. Já que, a bióloga de formação e ainda mestre em Ciências da Saúde, é ainda coordenadora do Projeto Vida no Trânsito e também tutora do Programa de Residência em Saúde Coletiva da Fundação Escola de Saúde Pública (Fesp).


Mesmo com toda esta jornada de trabalho, Marta não se furta de esclarecer a população do cenário epidemiológico de Palmas e por isso se tornou uma figura conhecida da imprensa local, uma vez que, de forma didática, a servidora busca informar os dados epidemiológicos, explicando, ensinando, e apresentando todos os dados que os cidadãos palmenses necessitam. "Eu entendo o elo que reside entre a comunicação e a comunidade e sempre abordo esse elo com extrema importância”, destacou Marta que tem seu trabalho reconhecido dentro e fora da Semus.


“Estamos vivendo anos atípicos por consequência da pandemia. Toda nossa rotina, a rotina de toda população tem mudado nessa situação atual, mas mesmo com uma alta demanda, há muito esforço do setor. É satisfatório estar à frente dele, buscando resolutividade e estratégias no controle epidemiológico”, ressaltou a diretora.


Mulheres na Semus


A rede municipal de saúde é constituída de 2.957 servidores, sendo 1.948 mulheres, 65,87% do total de servidores. São assistentes administrativos, biólogas, farmacêutica, técnicas em enfermagem, jornalistas, odontólogas, fotógrafa, assistentes sociais, nutricionistas, farmacêuticas, médicas, dentre tantas outras profissionais, que vêm construindo e aprimorando o trabalho com seriedade e competência mesmo diante a adversidades na rede de saúde da Capital. Essas trabalhadoras constroem um perfil do Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade, seja por seus projetos, planos, acolhimento da população ou pelos seus estudos e pesquisas.