Dia Nacional da Habitação: em três anos e meio, Palmas entregou mais de 2,7 mil moradias

Secretaria de Habitação

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 21 de agosto de 2021 às 11:01

Investimento supera R$ 220 milhões no período, com redução de 20% do déficit habitacional na Capital; outras 620 unidades devem ser entregues este ano

Neste 21 de agosto é comemorado o Dia Nacional da Habitação, uma data que serve para lembrar a importância de um dos direitos básicos do cidadão: ter acesso à casa própria. Em Palmas, a atual gestão comemora a data com o feito de ser a gestão que mais entregou unidades habitacionais na história da Capital. Em menos de três anos e meio, foram entregues 2.764 unidades e a previsão para este ano é de entregar mais 620 habitações. As unidades entregues representam uma redução de mais de 20% do déficit habitacional e mais de R$ 220 milhões em investimentos.

 

Junto com a casa própria, as 2.764 famílias também receberam toda infraestrutura necessária: acessibilidade, calçadas, ruas pavimentadas, sistema de água de esgoto, iluminação comum em LED e em alguns casos, casas com sistema de energia solar. Tudo isso, graças ao empenho incessante da Secretaria Municipal de Habitação que tem buscado parcerias com o Governo Federal, por meio dos Programas de Aceleração do Crescimento (PAC) e Casa Verde e Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida).

 

“Avançamos muito na política habitacional. Valorizamos este setor porque somos conscientes de que lidamos com o sonho das pessoas. Ter a casa própria traz mais segurança, conforto e dignidade. Por isso, retomamos projetos antigos e pleiteamos outros novos”, diz a prefeita Cinthia Ribeiro, que assumiu a administração do Poder Executivo de Palmas em abril de 2018.

 

O Secretário Municipal da Habitação, Fábio Frantz, enfatiza que o compromisso vai além de entregar um lar, mas garantir que o beneficiado possa se estabelecer em sua nova moradia. “Por isso estamos com projetos sociais em parceria com a Caixa Econômica para contribuir com as famílias no processo de mudança e auxiliar na tão importante inclusão social. Os projetos incluem capacitações profissionais dessas famílias para geração de emprego e renda e inserção no mercado de trabalho, para que possam se fixar nessas novas habitações."

 

Não importa a definição: habitação, lar, casa, apê ou tantos outros nomes, o certo é que o sonho é um só, ter um cantinho para chamar de seu, ter a sensação de pertencimento a uma comunidade ou local. E com esse sentimento, a moradora do Palmas Vertical Residence  North I, Maria Aparecida de Almeida de 73 anos, apresenta com orgulho o seu lar, mostrando o armário de cozinha, a mesa de seis lugares e a TV “grande” que ela conseguiu comprar aos poucos.

 

“Essa é minha chave, meu apartamento, enfim um lugar para dizer que é meu, porque aluguel é só um local emprestado, não é nosso. Eu sonhei com isso a minha vida toda, e quando eu recebi esse apartamento há três anos, foi um dos melhores dias da minha vida”. Ela conta que esperou 15 anos para ser contemplada, mas nunca desistiu, e durante todo esse tempo morou de aluguel.

 

Maria Aparecida recebe o benefício previdenciário de um salário mínimo e conta que o apartamento chegou em momento oportuno. “Eu nem sei o que seria de mim sem esse apartamento, eu não iria conseguir continuar pagando aluguel de R$ 600,00, pois como fui diagnosticada com um tumor no cérebro não consigo mais continuar costurando.” Devido ao tumor, Maria perdeu 50% da visão e parte dos movimentos.

 

 

Empreendimentos entregues pela atual gestão:

 

1. Palmas Vertical Residence  North I, 256 unidades;

2. Palmas  Vertical Residence  North II, 256 unidades;

3. Residencial Leblon, 128 unidades;

4. Residencial Barra da Tijuca, 120 unidades;

5. Recanto das Araras I, 500 unidades;

 6.  Jardim Vitória I, 500 unidades;

7. Recanto das Araras II, 500 unidades;

8. Residencial Santo Amaro, 240 unidades;

9. Residencial Porto Real, 144 unidades.