Diagnóstico, controle e tratamento da hanseníase é tema de capacitação de trabalhadores da Rede Municipal de Saúde de Palmas

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 10 de junho de 2021 às 13:02

Curso acontece entre os dias 10 e 17 de junho, no auditório do IVM, onde também fica sediada a Fesp, uma das promotoras da ação

A Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) começou a manhã desta quinta-feira, 10, com a promoção de um importante evento. Às 8 horas, o coordenador Técnico da Área de Hanseníase e Tuberculose de Palmas Pedro Paulo dos Santos Oliveira, que também é fisioterapeuta, deu seu recado sobre a importância da capacitação de profissionais de saúde nesta primeira fase do curso Ações de Controle em Hanseníase. A capacitação é oferecida pela Fesp e Secretaria da Saúde (Semus) e acontece em período integral, até o dia 17 de junho, no auditório do Instituto Vinte de Maio (IVM), onde fica sediada a Fesp.

“Hoje, a gente inicia mais uma proposta, conforme demanda apresentada pelos profissionais da Rede Municipal de Saúde, tanto no diagnóstico quanto no tratamento da hanseníase, já que Palmas, apesar de ser referência nacional no enfrentamento da hanseníase, é a região mais endêmica do país. Temos uma média de 200 pacientes a cada 100 mil habitantes, e isso, além de nos preocupar, nos torna cada vez mais bem preparados e atuantes no enfrentamento à doença”, destacou o coordenador.

Referência no tratamento à hanseníase na Capital, a médica hansenóloga, Seyna Ueno Rabelo, que atende no Ambulatório Municipal de Atenção à Saúde Dr. Eduardo Medrado (Amas), abriu o curso destacando que ‘estudar é libertador’. “A política de controle da hanseníase em Palmas começou a ser estruturada em 2016, onde eram diagnosticados cerca de 200 pacientes. A partir da implementação de políticas públicas voltadas para a doença, principalmente com os cursos de capacitação dos trabalhadores, vimos a média desses diagnósticos subir para aproximadamente 700 casos por ano e isso nos permite maior atendimento e controle de hanseníase em Palmas”, reforçou Seyna.

A rede municipal da saúde de Palmas oferece atendimento para portadores de hanseníase desde o diagnóstico até tratamentos, com medicação e orientações na fase após o controle e cura da doença, em todas as 34 Unidades de Saúde da Família, dentre elas a da Arno 44 (409 Norte), onde a residente em medicina de Família e Comunidade, participante da capacitação, Marina Vieira, atua.

“Esse curso sobre a hanseníase nos ajuda demais sobre como podemos conhecer melhor detalhes da doença e ajudando ainda mais a população, pois no curso, percebemos que a hanseníase tem muitas características de outras doenças e isso acaba passando despercebido na correria do dia a dia. Nos capacitando, é possível que toda a equipe fique mais atenta na busca do diagnóstico mais precoce possível.”, manifestou Marina.

 

Hanseníase

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica que pode provocar lesões na pele e danos nos nervos, causada pela bactéria Mycobatcerium leprae. Os sintomas são manchas claras ou avermelhadas na pele, com diminuição da sensibilidade, dormência e sensação de fraqueza nas mãos e nos pés.

A patologia era conhecida historicamente como Mal de Hansen ou lepra e até os dias de hoje ainda é considerada uma doença estigmatizada, sobretudo por causa da desinformação quanto às formas de contágio e devido às deformações que o estágio avançado pode causar em membros do corpo.