Em audiência na Câmara, Semus reforça atuação da rede no acolhimento às pessoas em sofrimento mental

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 24 de setembro de 2019 às 18:13

Audiência pública reuniu diversos segmentos com a proposta de debater suicídio e depressão


Os serviços oferecidos pela Rede de Atenção Psicossocial de Palmas foram divulgados pelos profissionais que atuam na área durante audiência pública realizada na tarde desta terça-feira, 24, na Câmara Municipal de Palmas com finalidade de debater o tema ‘Suicídio e Depressão’, em alusão a campanha Setembro Amarelo. 



A secretária executiva de Saúde de Palmas, Martha Ramos, parabenizou a iniciativa dos vereadores em discutir o tema. “Precisamos falar sobre o suicídio de forma consciente e com cautela. Falar não é incentivar, mas ajudar essas pessoas que estão sofrendo. Essas pessoas não querem morrer, elas querem acabar com o sofrimento, com a sua dor. Então, é preciso que a sociedade palmense saiba que nós temos uma Rede de Atenção Psicossocial articulada, que conta com profissionais na Atenção Primária em Saúde que estão prontos para fazer o acolhimento. Temos ainda os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e as Unidades de Pronto Atendimento. Todos preparados para fazer os encaminhamentos necessários e ajudar essas pessoas e suas famílias”, pontuou Martha, que na ocasião representou o titular da pasta, Daniel Borini.



Para o vereador Rogério Freitas (MDB), autor do requerimento para realização da audiência, é importante debater e procurar soluções para o problema que atinge parcela significativa da população. “É importante a discussão do tema com órgãos responsáveis pela saúde, além da sociedade civil organizada. É preciso escutar e levar em consideração as opiniões dos diversos atores sociais interessados no tema. A Câmara é o local apropriado para essa discussão, porque aqui é Casa de ressonância das demandas do povo”, reiterou.  



Participaram da audiência pública representantes das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, Municipal de Educação, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Delegacia da Mulher, Delegacia de Homicídios, Igrejas Evangélicas e representantes católicos, Instituições Espíritas, Conselhos de Psicologia e Psiquiatria do Tocantins, além de instituições de ensino públicas e privadas.

 








 

Edição e postagem: Lorena Karlla