Enfermeiros da rede municipal de saúde passam por capacitação em testagem rápida

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp/ Edição: Lorena Karlla | Publicado em 10 de agosto de 2022 às 09:38

Profissionais da área foram treinados para atuar na linha de frente do diagnóstico de infecções sexualmente transmissíveis

Enfermeiros que atuam em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) participaram nesta terça-feira, 09, de capacitação para aplicação de testagem rápida para o diagnóstico de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A qualificação, fornecida pela Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), aconteceu na sede do Samu, localizado na ASR-SE 95, às margens da TO-050. Ao todo, 15 profissionais da área foram capacitados. 

Com o objetivo de preparar os profissionais da enfermagem para atuarem na linha de frente do diagnóstico de patologias como o HIV, a sífilis e hepatites virais, a Fesp, por meio da Educação Permanente, em conjunto com a Superintendência de Atenção Primária e Vigilância em Saúde de Palmas (Supavs) e o Samu organizaram o curso de seis horas com aula prática e teórica na aplicação dos testes.

O treinamento surgiu devido ao elevado número de casos de ISTs na Capital. “Daí a necessidade de preparamos os profissionais que trabalham na linha de frente para testarem adequadamente essas pessoas”, justificou a biomédica e residente em Saúde Coletiva da Fesp, Lúcia Quintella, que ministrou o curso ao lado da enfermeira e coordenadora técnica de Doenças Infectocontagiosas do Município, Pamela Eva. 

“Os testes rápidos são simples e práticos, mas exigem atenção especial. Testar alguém de maneira incorreta pode implicar em problemas sérios de saúde para o paciente. Mesmo tendo aprendido na faculdade esta técnica, é preciso aprimorar sempre o conhecimento, pois o teste precisa ser aplicado da maneira adequada, e os enfermeiros que atuam na área de urgência e emergência não podem errar neste momento”, finalizou Lúcia. 

Para a enfermeira e coordenadora técnica de Doenças Infectocontagiosas do Município, Pamela Eva, a qualificação dos enfermeiros é imprescindível para o tratamento adequado dos pacientes, bem como para sua própria proteção. “Esta formação possui como objetiva preparar o profissional para ter o primeiro contato com pessoas que podem estar infectadas. Aplicar os testes rápidos de maneira correta implica diretamente no tratamento destas pessoas. Os profissionais também precisam estar atentos com a própria saúde, uma vez que diariamente manuseiam objetos perfurocortantes”, declarou a coordenadora.

A testagem rápida é fundamental para a realização do diagnóstico precoce dos pacientes, uma vez que o início do tratamento em tempo hábil contra estas patologias diminui a probabilidade de transmissão, além de garantir o tratamento adequado das pessoas infectadas. Apesar de práticos e simples, a aplicação dos testes exige capacitação e qualificação.