Especialista explica que medidas simples podem evitar problemas posturais crônicos em crianças

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 25 de setembro de 2019 às 12:10

Nesta quarta-feira, 25, alunos da Escola Municipal Mestre Pacífico aprenderam um pouco mais sobre a postura ideal do corpo para evitar problemas futuros

Geralmente é na infância que começam a aparecer os primeiros problemas relacionados à postura corporal. Período em que os pais e familiares devem ficar mais atentos à ergonomia do corpo dos filhos, buscando evitar problemas posturais crônicos e ajudando a criar adultos saudáveis. Com essa preocupação, a fisioterapeuta Darly de Sousa Marinho, que atua na rede de saúde em Palmas, vem promovendo palestras em escolas públicas para alertar os alunos sobre os cuidados com a postura.

 

Na manhã desta quarta-feira, 25, foi a vez dos estudantes da Escola Municipal Mestre Pacífico Siqueira Campos, situada na Arno 44, conhecer um pouco mais sobre a postura ideal do corpo para evitar problemas futuros. Num bate-papo bem descontraído com a criançada, a fisioterapeuta Darly abordou o cuidado que os estudantes devem ter com o bom alinhamento do corpo, com as dimensões dos mobiliários da sala de aula e também da casa e dos ambientes que eles frequentam.  “Ser largado é legal, mas ser largado faz mal à saúde, dá dor nas costas e deformidades. As crianças precisam ser alertadas sobre isso”, diz a profissional lembrando que sentir dor nas costas é algo que o senso comum costuma atribuir a idades avançadas, algo pertencente ao mundo dos adultos, mas esse é um problema que costuma ter origem na infância e na adolescência.

 

Darly explica que uma das causas desse problema são as cadeiras inclinadas para trás e altas demais. “Para se acomodar, a criança inclina-se sobre a superfície da mesa, comprimindo suas vértebras lombares. A pressão mantida por diversas horas sobre os ossos em formação da criança ocasiona transformações posturais permanentes, que irão incomodar para o resto de sua vida”, observa a fisioterapeuta, justificando que aprender sobre a postura adequada ao mobiliário na escola pode reduzir as dores nas costas.

 

Outro aspecto abordado pela profissional é sobre a condução do transporte do material escolar que para ela é outro ponto a se observar. De acordo com Darly, é comum encontrar crianças com a carga excessiva de materiais escolares dentro das mochilas. “Mochila com muito peso é para qualquer um sentir muita dor nas costas e no pescoço. A dica é fazer uma triagem para carregar apenas o material necessário do dia. A redução do peso das mochilas vai ajudar bastante a diminuir os problemas relacionados à coluna”, relata.

 

Segunda a fisioterapeuta, o peso ideal da mochila não pode ultrapassar 10% do peso da própria criança, ou seja, se ela pesa 40 quilos, o material não pode ter mais de quatro quilos. É importante também regular a altura da mochila. A mochila nunca deve ser maior que as costas da criança, mas sempre ficar na altura do bumbum.

 

A profissional informa que cerca de 80% das crianças entre oito e 10 anos já apresentam dores nas costas.  “O transporte de peso excessivo na mochila escolar pode levar os estudantes a terem sequelas severas em sua saúde, como dores na coluna, alterações no modo de andar, escoliose e má postura. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que 85% dos adultos têm, tiveram ou terão um dia dores nas costas provocadas por problemas de coluna”, reforça.