Farmácias Básicas Municipais distribuem canetas aplicadoras de insulina

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 13 de janeiro de 2020 às 17:03

Insulinas NPH e Regular estão disponíveis nas farmácias municipais e serão distribuídas para pacientes com diabetes mellitus tipo 1


As Farmácias Básicas Municipais distribuem, a partir deste mês, canetas de aplicação de insulina NPH (de ação intermediária) e Regular (de ação rápida) para pacientes com diabetes mellitus tipo 1. As unidades de insulinas foram fornecidas pelo Ministério da Saúde (MS) e já estão disponíveis nas farmácias municipais para dois grupos de pacientes específicos: crianças e adolescentes até 15 anos de idade e idosos acima de 65 anos de idade.


O coordenador de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde, Ricardo Nunes, assegura que as canetas trazem maior conforto e praticidade para aplicação da insulina. “O próprio usuário poderá aplicar a injeção sem a ajuda de terceiros, e como as agulhas são ultrafinas, causam menor grau de dor e incômodo, visando à qualidade de vida dos pacientes”, declara.


Segundo Nunes, os dois grupos de pacientes serão atendidos conforme a necessidade pessoal de uso das insulinas NPH e Regular. Cada caneta possui 300 unidades do medicamento e os estoques serão mantidos todos os meses, enquanto durar a vigência deste programa do MS, realizado no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).


Para a farmacêutica bioquímica da Semus, Paulina Rosa, uma das vantagens da caneta aplicadora é a adesão de crianças e adolescentes ao tratamento de diabetes, porque o sistema foge do formato mais conhecido de vacina, com seringas e agulhas. Outra vantagem é a precisão da dosagem que reduz as chances de complicações causadas pela falta de controle do nível de glicose no sangue, como a hipoglicemia.


Para receber o medicamento, o paciente deve procurar a farmácia municipal mais próxima da sua residência portando uma caixinha de isopor com gelo para armazenagem da insulina, apresentar o Cartão SUS, e ainda receita e laudo atualizados que comprovem o diagnóstico e tratamento da diabetes mellitus tipo I. Os pacientes também podem solicitar o aparelho glicosímetro, para monitorar o índice de glicemia, além de tiras e agulhas.

 

 


Edição: Lorena Karlla