Feiras da Capital geram renda para 1,5 mil famílias palmenses

Secretaria do Desenvolvimento Social

Autor: Redação Secom | Publicado em 12 de agosto de 2021 às 14:40

Nos maiores espaços públicos o faturamento chega a mais de R$ 1 milhão por mês

As feiras cobertas municipais têm sido responsáveis por gerar renda a 1,5 mil famílias palmenses. Segundo estimativas da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), as maiores delas chegam a gerar mais de R$ 1 milhão por mês. Muitas famílias conseguem sua renda financeira para sustentar suas famílias nesses espaços e assim driblar as dificuldades impostas no dia a dia.  

Segundo, Maria Auriene, feirante há 20 anos, seus bens materiais foram conseguidos com a comercialização de ervas e condimentos em feiras da Capital. “Cheguei em 2001, sem conseguir trabalho, e com o dinheiro das feiras criei quatro filhos, abri duas barracas e um depósito, comprei uma moto e uma casa”, relembrou, contando que é natural do Estado do Maranhão, mas que já se sente palmense e grata à Capital.

Quem também sustenta a família, de sete pessoas, com rendimentos da feira é João Barbosa, que afirma ter aprendido a amar sua profissão. Ele, que também é produtor rural, diz manter todos exclusivamente com a renda das feiras, onde trabalha comercializando hortaliças nos espaços da 304 Sul (Arse 31) e da 503 Norte (Arno 61), ganhando, em média, um salário mínimo de lucro por mês.

E assim como Maria Auriene e João Barbosa, outros palmenses podem usar os espaços das feiras para comercializar seus produtos. Para tanto, devem entrar em contato com a Sedem pelos telefones (63) 3212-7323, pelo e-mail feiraspalmas@gmail.com ou ainda se dirigir à feira da 304 Sul, de segunda a sexta, das 13 às 19 horas.

 

Documentação

Para assegurar a vaga, deve ser apresentada a seguinte documentação: RG; CPF; comprovante de endereço; uma foto 3x4; certidão nascimento ou casamento; e em caso de ser produtor rural palmense, documento comprobatório de que a terra está em seu nome (60% das vagas estão destinadas a este público).

A taxa é cobrada anualmente e se refere à comercialização, Vigilância Sanitária e uso de espaço público, variando de acordo com a especificação do produto e o tamanho da banca.

 

Funcionamento

Na Capital, as feiras acontecem de terça a domingo e estão organizadas para que, pelo menos, uma esteja em funcionamento em alguma parte da cidade. O feirante pode comercializar em mais de uma delas, desde que atenda aos requisitos estabelecidos pelos órgãos competentes.

Em razão do momento pandêmico, os espaços funcionam seguindo minuciosamente os critérios estabelecidos contra a disseminação da Covid-19, com placas de orientação para higienização das mãos e material para tal, uso obrigatório de máscara e instrução para que os feirantes disponibilizem álcool em gel para seus clientes.

Texto: Beatriz Machado (estagiária)