#FiqueBemEmCasa: devo utilizar álcool 70% líquido ou em gel em casa?

Secretaria da Saúde

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 23 de abril de 2020 às 10:43

Confira as orientações de especialistas e da OMS sobre a forma adequada de utilização do produto

Em dias de pandemia, quando a recomendação é para que quem puder fique em casa, é comum ter dúvidas quando à utilização do álcool 70% em gel ou líquido, um produto amplamente divulgado como aliado para evitar o contágio do novo coronavírus. Por isso, a série #FiqueBemEmCasa traz as principais recomendações da OMS e de especialistas em saúde sobre o tema.

 

A Organização Mundial de Saúde adverte que o uso do álcool 70% é aconselhável quando não for possível lavar as mãos com água e sabão. A lavagem das mãos deve durar pelo menos 20 segundos, esfregando bem unhas, dedos e a palma das mãos depois de tocar algo de uso compartilhado.

 

De forma bem simplificada, o biomédico Diógenes Souza lembra que o vírus tem uma membrana gordurosa (lipídica), onde estão as proteínas de ligação dele à célula a ser infectada e pelo fato de o sabão ter uma ação emulsificante destrói a membrana gordurosa, o que acaba matando o vírus. “Por isso o uso de água e sabão é o mais eficaz para eliminá-lo”, destaca, acrescentando que  o uso do álcool 70% em gel  é indicado para higienização das mãos, quando a pessoa não estiver em locais com acesso à água e sabão.

 

Mas em casa, as pessoas podem utilizar o álcool 70% na higienização de chaves, carteiras, bolsas, e demais produtos, principalmente embalagem de produtos que chegam do mercado. O produto também passou a ser utilizado na limpeza da casa, banheiros, pegadores de armários, geladeiras, maçaneta, enfim locais que podem ser tocados por mais pessoas na casa. Então qual deve ser utilizado, o álcool 70% em gel ou o líquido?

 

O especialista explica que o álcool 70% líquido só deve ser usado para limpeza de superfícies, e em último caso usá-lo nas mãos, quando não for possível encontrar a forma em gel, o que aconteceu nas últimas semanas, quando o produto era dificilmente encontrado nas prateleiras dos mercados. No entanto a composição do álcool líquido não pode passar de 70%, devido ao alto poder de combustão e por causar danos à pele, fato que fez por muitos anos ser proibida a sua venda nos mercados.

 

O biomédico lembra que a composição química do álcool em gel fixa melhor na pele e tem baixo poder de combustão, diferente da forma líquida, mesmo assim o seu uso deve ser evitado na higienização das mãos em casa, principalmente se a pessoa for utilizar fogão. “Uma pessoa que tenha usado o álcool na higienização das mãos, e não havendo a total evaporação do produto, que por sua vez pode ser facilmente alojado nos poros da pele, ao acender um forno ou fogão pode correr o risco de haver combustão, e o risco de queimadura é alto, principalmente na forma líquida”.

 

A aplicação do álcool 70% em gel nas mãos deve ser feita sem esfregar a pele, apenas passar com delicadeza e deixar secar espontaneamente. Para a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a recomendação é que a utilização do álcool líquido em casa deve ser feita com cautela e longe do alcance das crianças.