#FiqueBemEmCasa: os benefícios da amamentação superam os riscos de transmissão do coronavírus (Covid-19)

Secretaria da Saúde

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 14 de abril de 2020 às 17:51

O Mistério da Saúde esclarece que não há estudos científicos que comprovem transmissão do vírus durante a gestação e nem no período neonatal durante a amamentação

 

Em tempos de pandemia do novo coronavírus(Covid-19), quando a principal aliada para conter a proliferação do vírus é a informação, o quadro #FiqueBemEmCasa responde ao questionamento comum feito por muitas mães: posso continuar amamentando caso seja diagnosticada com a doença ou estejam sentindo sintomas gripais? "Os benefícios da amamentação superam os riscos de transmissão da Codiv-19, além desse vínculo entre o bebê fortalecer o psicológico dessa mãe tão afetada pela doença", responde a enfermeira Isabela Eulálio da Secretaria de Municipal de Saúde (Semus).

 

A enfermeira explica que conforme esclarece o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), a amamentação pode ser realizada normalmente, mesmo em mulheres diagnosticadas com o coronavírus, desde que elas se sintam bem e que sigam os cuidados de higienização necessários. Como lavar os mamas, lavar as mãos antes de tocar no bebê e usar máscara facial (cobrando totalmente o nariz e a boca) durante a amamentação.

 

Os órgãos de saúde esclarecem que não há nenhum estudo capaz de comprovar que a mãe contaminada é capaz de repassar a doença para o filho durante a gestação e no período neonatal durante a amamentação. E que neste cenário a recomendação é que o aleitamento deve continuar, uma vez que a amamentação tem o potencial de transmitir anticorpo da mãe ao bebê.

 

Caso a mãe não se sinta à vontade para amamentar diretamente o filho, a SBP alerta que ela poderá extrair o seu leite manualmente ou usar bombas de extração láctea, desde que bem higienizadas.  Ao ordenhar o leite, a mãe deve usar máscara, lavar as mamas e as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos antes de tocar em qualquer parte da bomba ou recipiente e seguir as recomendações para uma limpeza adequada da bomba após cada uso. Se possível, considerar que alguém que esteja bem dê o leite materno ordenhado ao bebê em copinho, xícara ou colher.

 

Doação de leite materno

 

Os mesmo cuidados de higiene também devem ser seguido pelas mães que forem doar ao Banco de Leite. Uma grande preocupação nesse tempo de pandemia é a baixa de estoque nos bancos de leite, uma vez que a falta do alimento pode agravar o estado de saúde de muitos bebê internados em UTI. A enfermeira faz um pedido para que as mães que estejam amamentando e tenham condições de doar leite materno o façam. "Não há risco de contaminar outro bebê, e a mãe doadora não precisa sair de casa, pois há o serviço que busca o leite na residência". Em Palmas, para doar para o banco de leite, a interessada deve entrar em contato por meio do número: 0800 646 8283.