Fundação Cultural de Palmas participa de live do projeto ‘Mais – Movimento Arte Inclusiva’

Fundação Cultural de Palmas

Autor: Samara Martins | Publicado em 28 de outubro de 2021 às 11:00

No encontro on-line, o presidente do órgão, Giovanni Assis, discutiu arte inclusiva e acessibilidade cultural

O presidente da Fundação Cultural de Palmas, Giovanni Assis, discutiu arte inclusiva e acessibilidade cultural em live promovida pelo projeto ‘Mais – Movimento Arte Inclusiva’, realizada na tarde desta quarta-feira, 27, pelo YouTube. Também participaram a artista idealizadora do projeto, Paula Wenke, e o superintendente de Cultura do Tocantins, Remilvam Milhomem. O evento on-line pode ser acessado neste link

Por meio do projeto, a artista Paula Wenke pretende dialogar sobre Arte Inclusiva e Acessibilidade Cultural com todos os secretários de Cultura Estaduais e Municipais de suas respectivas capitais, bem como com o secretário Nacional de Cultura e o do Distrito Federal. O projeto é patrocinado pela Embaixada do Reino dos Países Baixos, através do ‘Fundo de Cultura 2021: Conexões Culturais, Cidades Habitáveis’.

Durante o evento, Giovanni Assis discorreu sobre as políticas, projetos e ações desenvolvidos pela Fundação Cultural de Palmas, com foco em especial naqueles voltados para inclusão e acessibilidade, tais como: cursos de artes aptos a receber alunos com deficiências; aquisição de acervo em Braile e audiodescrição para as bibliotecas públicas municipais sob a coordenação da FCP; disponibilidade dos recursos de Closed Caption, para pessoas com deficiência auditiva e audiodescrição para pessoas com deficiência visual no Cine Cultura; financiamento de projetos de pessoas com deficiência estão incorporados em todos os editais de fomento; abertura do Arraiá da Capital com a junina da Apae, entre outras.

O objetivo dos encontros é serem propositivos. “O Movimento unirá esforços para a publicação destes diálogos posteriormente. A expectativa da equipe do projeto é que seja um marco e mapeamento importante na história da Acessibilidade Cultural e Fortalecimento da Arte Inclusiva no Brasil”, destaca a idealizadora Paula Wenke.