Fundação de Meio Ambiente participa de plantio de mudas às margens do Córrego Sussuapara

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Márcio Greick | Publicado em 21 de março de 2019 às 12:11

Realizadas em parceria com o Ruraltins, atividades fazem parte da comemoração ao Dia Mundial da Água

A Fundação do Meio Ambiente (FMA), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), realizou na manhã desta quinta-feira, 21, plantio de espécies nativas e frutíferas às margens do Córrego Sussuapara, próximo ao Colégio Militar de Palmas.

 

O plantio foi feito de forma consorciada, com milho, sorgo, com semeadura direta e em linha, tudo de forma planejada e pensado na manutenção da restauração da área de aproximadamente 0,5 hectares, onde foram plantadas como baru, amora, guapeva, jenipapo, tamarindo, além de mudas madereiras, como angico, aroeira e medicinal como pacari, dentre outras.

 

Na oportunidade o engenheiro florestal do Ruraltins, Ricardo Flores, apresentou o projeto Restaura - TO, que tem como objetivo promover a restauração e o uso racional da cobertura vegetal e da flora nativa em Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL).

 

De acordo com Flores, o modelo demonstrativo de restauração de áreas naturais ajuda na preservação da cobertura vegetal e na preservação do Córrego Sussuapara. “Esse modelo evita processo erosivo e assoreamento e evita que o capim que tem aqui esteja propenso ao fogo”, disse.

 

Outra atividade defendida pelo profissional é a coleta de sementes através do banco de germoplasma. “O banco de sementes é o coração de qualquer atividade de restauração, seja para fazer viveiro ou plantio tem que ter o banco de sementes de espécies nativas”, ressaltou.

 

A restauração da área contou com o fornecimento das mudas, preparação do solo e plantio pelos servidores do Viveiro da Prefeitura de Palmas. Durante o plantio das árvores nativas e frutíferas cerca de 40 alunos do Colégio Militar de Palmas visitaram o laboratório a céu aberto.


A aluna do segundo ano do Ensino Médio do Colégio Militar de Palmas, Sabrina Coelho, elogiou a iniciativa dos órgãos envolvidos. “Hoje em dia há muito desmatamento e o capim transmite muito calor, e esta área que está próxima ao nosso colégio é muito quente,  e este  plantio  de mudas de árvores frutíferas pode ajudar com as sombras e a reflorestar as margens do Córrego Sussuapara”, finalizou.

 

A presidente da Fundação do Meio Ambiente (FMA), Meire Carreira, elogiou o modelo demonstrativo de restauração de áreas naturais apresentado pelo Ruraltins.  “O município pode se espelhar nesta unidade demonstrativa para expandir para outras áreas da Capital”, disse.

 

Neste Dia Mundial da Água estão marcadas também no Parque dos Povos Indígenas, a partir das 17 horas, apresentações musicais e plantio de mudas às margens do Córrego Sussuapara para recomposição de mata ciliar e preservação do curso de água.




Edição e postagem: Iara Cruz