Gestores e técnicos da Saúde e da Educação discutem parceria quanto ao Centro de Educação Inclusiva

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 27 de agosto de 2019 às 10:30

O CEI conta com atendimento multiprofissional com foco na educação inclusiva

Uma portaria regulamentando as atividades do Centro de Educação Inclusiva (CEI) que funciona na Escola Municipal Francisca Brandão (Arse 121), bem com a atuação dos profissionais de saúde, por meio do Centro de Atenção Inclusiva (CAI), foi proposta por gestores e técnicos das redes municipais de saúde e de ensino da Capital. Nesta segunda, 26, a parceria entre as redes foi discutida em reunião com gestores, técnicos e pesquisadores da Secretaria Municipal da Saúde (Semus) e da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp).

 

“O planejamento e organização da rede de cuidado aos estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e aprendizagem, é de extrema importância, uma vez que garante o acesso e cuidado integral a esses estudantes e suas famílias”, pontuou o secretário de Saúde, Daniel Borini.

 

O atendimento ofertado pelo CEI é multiprofissional composto por profissionais da educação e da saúde, no qual realizam integradamente as atividades de acompanhamento e reabilitação de estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, matriculados em classes comuns do ensino regular, assegurando-lhes condições de acesso, participação e aprendizagem.

 

“Com a portaria vamos regulamentar todas as diretrizes de atendimento a esse público que já vem sendo feito em parceria entre técnicos da Saúde e da Educação, e que vem dando certo, promovendo essa inclusão”, concluiu a secretária executiva da Semus, Marttha Franco.