Grupo de Autocuidado em Hanseníase de Palmas realiza último encontro de 2019

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 06 de dezembro de 2019 às 16:08

Através de ações de autocuidado e da troca de experiência objetiva-se melhorar a auto estima, a confiança das pessoas em lidar com o diagnóstico e tratamento

Na manhã desta terça-feira, 10, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), por meio do Grupo de Autocuidado em Hanseníase de Palmas, em parceria com a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social (Sedes), realizou o último encontro do ano no Centro de Referência em Assistência Social (Cras) 407 Norte.

 

A ocasião contou com a realização de dinâmicas em grupo com o objetivo de promover a integração por meio do exercício de falar e ouvir, uma espécie de “terapia do desabafo”, além de outras atividades integrativas. 

 

Criadora do projeto e fisioterapeuta do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), Darly de Sousa, comenta que quando chegou na região observou que havia casos de óbito em decorrência da doença e o índice de internações era alto. “A partir disso veio a ideia de formar o grupo para apoiá-los e acompanhar o tratamento com mais proximidade”. 

 

A assistente social e coordenadora do Cras, Silvânia Alves, esclarece que é muito importante a participação dos usuários porque o relato deles ajuda outras pessoas que estão em situação de isolamento. “Esses grupos possibilitam o fortalecimento de vínculo entre família e sociedade. Também tiramos todas as dúvidas com relação à garantia de direitos”, completou a profissional. 

 

A professora aposentada, Margarida Cabral, 58 anos, estava bastante emocionada durante o encontro. “O tratamento é muito complicado, os medicamentos são agressivos e a pessoa fica bastante debilitada. Fico emocionada porque minha cunhada e marido tiveram essa doença. Através do carinho, trabalho e dedicação de toda a equipe tivemos apoio para acreditar que podemos superar essas dificuldades. O apoio à família também é importante porque é necessário que ela esteja junto do parente que passa por essa situação”, desabafa Margarida.