Mês da Mulher inicia com programação especial no Cras do Taquari

Secretaria do Desenvolvimento Social

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 01 de março de 2020 às 12:27

A ação reuniu dezenas de moradores do setor 


Palestras sobre os direitos, atendimento jurídico com a Defensoria Pública Estadual (DPE), corte de cabelo, atendimento do cadastro único, teste rápido de glicemia, HIV, hepatite e sífilis marcaram a comemoração antecipada pelo Dia Internacional da Mulher no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) do Jardim Taquari, na manhã desse domingo, 1°. A coordenadora da unidade, Marcivânia Alves, explica que o objetivo da ação no final de semana é "para atender o público que não tem essa disponibilidade durante a semana e já antecipar as comemorações às mulheres". 

 


A ação reuniu dezenas de moradores do setor que buscavam orientação e atendimento, como a dona de casa Simone Rosa, 37 anos, que na oportunidade entrou com o pedido de guarda de sua neta de três meses, uma vez que sua filha está impossibilitada de criar. "Eu já ia procurar a Defensoria na próxima semana, mas como soube que teria essa ação no Cras vim para me informar". A defensora Franciane de Fátima Cardoso, explicou que na hora foi feito o agendamento para a avó levar os documentos ao Núcleo de Conciliação para fazer o acordo e conclusão do processo de guarda.

 


"Se as partes (os pais) estivessem vindo, a avó já poderia sair daqui com o termo de guarda da neta", conta a defensora pública, coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher. A DPE fez diversos encaminhamentos de processos, a exemplo de abertura de processo de pensão alimentícia.

 


Uma série de palestras rápidas levou informações às mulheres sobre seus direitos. A advogada e professora da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Graziela dos Reis, abriu o ciclo de palestra; em seguida foi a vez da Delegada da Polícia Civil, Lorena Oyama, explicar a importância de fazer a denúncia sobre violência sofrida e os encaminhamentos que a delegacia faz após o recebimento da denúncia para que a mulher consiga romper com o ciclo de violência e possa viver de forma independente do companheiro agressor. A Tenente Coronel da Polícia Militar, Roberta de Oliveira, comandante da Patrulha Maria da Penha, esclareceu que o objetivo de sua patrulha é garantir o respeito à medida protetiva.

 


"Estamos há um ano fazendo esse tipo de atendimento, e nesse período temos notado que os agressores estão respeitando o afastamento. Após a denúncia na delegacia, a mulher com posse da medida preventiva, ela entra com pedido na PM para que a medida seja cumprida. Diante disso fazemos visitas a mulher e ao agressor explicando os termos da medida e fazemos a patrulha para garantir que a medida protetiva está sendo cumprida".

 


Durante a ação, tanto mulheres quanto homens puderam contar com atendimento ao Cadastro Único, ainda tiveram à disposição o teste rápido de Glicemia, HIV, sífilis e hepatite, que apresentava resultado na hora. Mas a maior procura, entre os serviços oferecidos, foi no corte de cabelos, proporcionado por cinco irmãos que têm um estúdio na Avenida JK e sempre fazem ação social. "Fiquei sabendo desse evento por minha mãe, e vim pra mudar meu estilo", conta a Mabily Maiara Farias, 12 anos, que trocou o cabelão por um corte ‘mais curto e fácil de manter’.

 


A ação no Cras do Taquari é uma realização da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), em parceria com a DPE e o Núcleo de Vigilância de Prevenção de Violência e Acidentes, Promoção da Saúde e Cultura de Paz - Nupav Mulher, que é formado por mais de 35 instituições e tem sua sede na Secretaria Municipal de Saúde.

 

 

Edição: Lorena Karlla