Mesmo sem registros de febre amarela em Palmas, Semus recomenda vacina contra doença

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 15 de fevereiro de 2019 às 09:19

Doses da vacina estão disponíveis nos 34 Centros de Saúde da Comunidade

Quem ainda não se vacinou contra a febre amarela deve procurar um dos 34 Centros de Saúde da Comunidade para se imunizar. Desde o início do ano, todas as unidades de saúde de Palmas estão com estoque reforçado da vacina para que toda a população entre os nove meses e 59 anos de idade sem vacinação prévia seja imunizada.

 

A Capital e região continuam sem registro de febre amarela tanto em macacos (que são os primeiros a adoecer) quanto em humanos, mas como  recomendação do Ministério da Saúde, todos os municípios brasileiros devem ofertar a vacina.

 

De acordo com a enfermeira Juliana Araújo, a vacinação é uma medida preventiva e tem como objetivo antecipar a proteção contra a doença para toda população caso ocorra aumento na área de circulação do vírus. “Como a vacina é de rotina no calendário vacinal, cada centro tem seu dia estabelecido para administrar essas doses, uma vez que cada frasco equivale a 10 doses que devem ser administradas no mesmo dia para não termos perda de vacina”, explica a enfermeira da Cemuv, Juliana Araújo, lembrando que devido à curta validade do frasco e  com o objetivo de evitar a desperdícios de doses da vacina, há um cronograma para abertura dos frascos deste imunobiológico.

 

A enfermeira adverte que a vacina não deve ser aplicada em crianças com menos de seis meses de idade, histórico de reação anafilática a ovo de galinha e seus derivados ou outras substâncias presentes na vacina, como gelatina, eritromicina e canamicina.  A vacina também é contraindicada em caso de imunodepressão transitória ou permanente, induzida por doenças (neoplasias, AIDS e infecção pelo HIV com comprometimento da imunidade – CD4).

 

Gestantes, pessoas acima de 60 anos e mulheres amamentando crianças menores de seis meses deverão ser vacinados somente se forem se deslocar para área com transmissão ativa da doença. Nos casos de lactantes, a amamentação deve ser suspensa por 10 dias a partir da aplicação da vacina.

 

 

Dados

 

Veja os números das doses aplicadas nos últimos três anos:

 

- 2017: 12.184

- 2018: 8.464

- 2019: 890

 

 

 

 

Revisão e postagem: Iara Cruz