Moradores de rua são conduzidos ao CSC Isabel Auler para avaliação de hanseníase e realizarem exames preventivos

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 28 de janeiro de 2020 às 16:50

A ação foi desenvolvida em alusão às campanhas Janeiro Roxo e Branco, com foco na conscientização sobre hanseníase e  saúde mental, respectivamente.

Os profissionais do programa Consultório na Rua, em parceria com o Centro de Saúde Isabel Auler (Arso 23), ofereceram uma programação especial, nesta terça-feira, 28, para as pessoas que vivem em situação de rua e são atendidas pelo programa em Palmas. A ideia foi aproveitar as campanhas Janeiro Roxo e Branco e reforçar a prevenção em saúde, levando os assistidos até o CSC para realizarem avaliação de hanseníase, testes rápidos (HIV, sífilis e hepatites virais), vacinação, palestra sobre saúde mental, entre outros serviços.

 

A realidade de quem vive em situação de rua maltrata o corpo, a mente e expõe essas pessoas a diversos riscos. Marli Costa Duarte tem 47 anos, há sete anos vive de lugar em lugar, vagando pelas ruas em busca de uma condição melhor. Ela conta que se desligou da família por desentendimentos pessoais e decidiu morar nas calçadas. “É uma vida muito triste. Você dorme com medo de alguém tirar a sua vida e não sabe se vai acordar viva”, conta.

 

Marli está em Palmas há cerca de três anos e é uma das atendidas pelo projeto Consultório na Rua, que leva assistência social, médica, psicológica e odontológica aos moradores de rua da capital. Ela explica que já realizou diversos tipos de exames, como ginecológico, psiquiátrico, hemograma, teste rápido de infecções sexualmente transmissíveis e outros. E complementa dizendo que, além da prevenção em saúde, os profissionais ajudam no lado emocional, dão conselhos e motivam para que os assistidos deixem as ruas e reconquistem a dignidade e a autoestima.

 

A técnica em enfermagem Silvaci de Araújo Reis, pioneira no programa em Palmas, relata que trabalhar com a população de rua requer paciência e carinho porque, em muitos casos, são pacientes que rejeitam ajuda e já perderam a vontade de viver. “É preciso ter amor ao que se faz e também pelas pessoas que vivem nessas condições. Mas quando observamos os resultados e vemos eles aqui, no Centro de Saúde, é muito gratificante”, conta.

 

Cerca de 250 pessoas em situação de rua já foram atendidas pela equipe do Consultório na Rua desde o ano de 2016, quando o programa foi implantado em Palmas. Atualmente a equipe é formada por enfermeira, agentes sociais e técnica em enfermagem. Além disso, 13 residentes em saúde mental colaboram com os atendimentos - enfermeiras, assistentes sociais, psicólogas, terapeuta ocupacional e farmacêuticas.

 

Janeiro Roxo e Branco 

 

O Janeiro Roxo é uma campanha educativa que tem como objetivo chamar a atenção das pessoas para a importância do diagnóstico precoce, do tratamento e do controle da hanseníase. Já o Janeiro Branco visa colocar em evidência os temas relacionados à saúde mental para prevenir o adoecimento psicológico e emocional.