Moradores do Jardim Aureny II são convocados à luta contra o Aedes aegypti

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 20 de novembro de 2019 às 16:03

Ação contou com blitz educativa, vistorias aos imóveis, limpeza de áreas públicas e recolhimento de entulhos


Mais de 50 agentes de combate às endemias percorreram o Jardim Aureny II na manhã desta quarta-feira, 20, durante a primeira mobilização de combate ao Aedes aegypti que tem o objetivo de reforçar o compromisso dos moradores em manter os quintais limpos e livres de foco do mosquito. A ação contou ainda com limpeza de áreas públicas, recolhimento de entulhos e blitz educativa com a participação dos alunos da Escola Municipal Tiago Barbosa.

 

 

“A intenção dessa mobilização social, além de fazer uma intervenção na área que epidemiologicamente no último período de chuvas foi significativo o grande número de casos, é chamar à responsabilidade do morador para que cuide também do seu domicílios. Mais de 70% dos focos estão nas casas, então sem o apoio do morador seria impossível fazer esse controle”, ressaltou o secretário de Saúde Daniel Borini.

 

 

Quem teve sua residência vistoriada foi o armador Francisco Xavier, que no momento estava pintando sua casa. “Sempre tenho o cuidado de não deixar nada que acumule água, as vasilhas que coloco água para os pássaros, troco a água direto. E essas latas de tinta aqui vou descartar tudo assim que terminar a pintura, não deixo nada que possa ser criadouro do mosquito”, disse.

 

 

O agente de combate às endemias, Wender Maia, reforçou com o morador a importância dessa consciência que cada pessoa deve ter. “Nós passamos aqui de dois em dois meses e o ciclo do mosquito é de sete dias, então precisa dessa conscientização do morador de descartar o lixo e acondicionar corretamente e de manter o quintal sempre limpo”, reforçou.

 

 

A casa da dona Eva de Jesus Freitas passa por obras, mas ainda assim, ela tem o cuidado de não deixar nada acumulando água. “Eu gostaria que essa visita fosse diária porque por mais que a gente cuide, sempre tem alguma coisa que passa despercebida. Essas telhas aqui mesmo estão todas secas, não é criadouro para o mosquito, mas o agente disse que pode ser abrigo para barbeiro, escorpião e aranhas”, pontuou.

 

 

O aposentado Aureliano de Paiva ressaltou que apesar de ter bichos como gatos e galinhas e uma caixa aberta no quintal, está sempre trocando a água e limpando tudo que pode servir de criadouro. “O meu quintal é assim cheio de coisas, mas está sempre limpo. Parou a chuva já vou procurar para ver se tem algo que ficou água acumulada, porque sei que esse mosquito não está de brincadeira”, afirmou.

 

 

Blitz

 

 

Esse cuidado com o quintal foi reforçado com todos os condutores que cruzaram a faixa de pedestre nas proximidades da Escola Municipal Tiago Barbosa. Com faixas escrito ‘Você já limpou seu quintal hoje?’ e ‘A dengue mata!’, a equipe técnica da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses de Palmas (UVCZ) com o apoio da Guarda Metropolitana, dos agentes de trânsito e dos alunos do 8º ano da escola que também produziram cartazes, pararam os condutores e orientaram quanto aos cuidados necessários.

 

 

“É importante a gente se envolver nessas ações de conscientização porque tem pessoas que não estão nem aí, não fazem a sua parte, e aquele que faz acaba sendo prejudicado pelas ações de quem não tem consciência”, enfatizou a estudante Raíssa Quirino, de 14 anos.

 

 

Dados

 

 

Nas primeiras 45 semanas deste ano foram notificados 11.151 casos de dengue na Capital, dos quais 5.148 foram confirmados. Só no Jardim Aureny II foram 309 casos notificados e 150 confirmados. Já o índice de infestação predial é de 1,13% (dados de janeiro a outubro); o recomendado pelo Ministério da Saúde é abaixo de 1%.

 

 

Mais mobilizações

 

 

Outras duas grandes mobilizações estão previstas, sendo uma nesta sexta, 22, na região Central, na quadra ASR-SE 75 (712 Sul), e outra no dia 26, próxima terça, na região Norte, na quadra Arno 43 (407 Norte).

 

 

As mobilizações são realizadas pela Semus em parceria com as secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp), de Desenvolvimento Urbano, Regularização Fundiária e Serviços Regionais (Sedurf), de Desenvolvimento Social (Sedes), da Educação (Semed), de Comunicação (Secom) e de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), e ainda com a Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA).