Novembro Azul - Blitz educativa orienta público masculino quanto ao diagnóstico precoce do câncer de próstata

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 08 de novembro de 2019 às 10:35

A blitz é uma realização dos profissionais de saúde do CSC da Arse 13 (108 Sul)


Enquanto o sol se despedia no final da tarde desta quinta-feira, 07, quem passou pelo semáforo da Avenida LO-01, nas imediações da Praça dos Girassóis, recebeu informação sobre o câncer de próstata. A blitz educativa foi realizada pelos profissionais do Centro de Saúde da Comunidade da Arse 13 (108 Sul).

 

 

A ação faz parte das ações em alusão a campanha Novembro Azul e referência ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata comemorado no dia 17 de novembro. A blitz contou com a colaboração de 15 mulheres profissionais de saúde da atenção básica com o objetivo de alertar sobre a saúde do homem.

 

 

Durante a blitz, homens que caminhavam no entorno praça, motoristas e motociclistas que paravam no semáforo foram abordados individualmente pelas profissionais de saúde, que de maneira divertida utilizando acessórios lúdicos como gravatas azuis e bigodes, orientavam sobre a importância do acompanhamento médico preventivo.

 

 

A dentista da unidade, Adriana Lopes, esteve à frente da equipe multiprofissional promovendo a interação entre os transeuntes. “Resolvemos fazer essa campanha saindo do centro de saúde para a rua, visando  estimular os homens a procurar a prevenção o quanto antes. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, quando diagnosticado precocemente o câncer de próstata tem até 90% de cura. Estima-se que em 2019 serão 68 mil casos novos diagnosticados no Brasil e morrem 42 homens por dia. É o segundo câncer mais recorrente na população masculina depois do câncer de pele”, esclarece Adriana.

 

 

Durante o mês de novembro, a equipe do Centro de Saúde vai estar na rua semanalmente orientando população e distribuindo panfletos educativos. O público masculino também terá atendimento prioritário na unidade de saúde.

 

 

“É uma forma de conscientizar os homens que relutam em fazer exames e cuidar da saúde. É primordial que se tenha atenção, saúde em primeiro lugar. Preconceito é uma besteira muito grande, o homem que faz esse exame está priorizando a saúde. Eu sempre cuido e faço, não tem que esconder nada, o pior é ficar doente e dar trabalho para família ou amigos”, afirma Laerte Almeida, que caminhava na praça e recebeu orientações.   

 

 

Segundo o Ministério da Saúde, a prática de hábitos saudáveis reduz as chances de desenvolver o câncer próstata, ou seja, evitar o tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas ajuda bastante. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta que em 2018 foram diagnosticados 68 mil casos do câncer e houve mais de 13 mil mortes em decorrência da doença.