Novos residentes em saúde iniciam suas atividades na rede pública de Palmas

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 08 de março de 2019 às 15:09

A aula inaugural dá início às atividades dos novos residentes na rede de saúde  


A rede de saúde de Palmas deu boas vindas aos 197 profissionais residentes dos Programas de Residência Médica, Multiprofissional e Uniprofissional, distribuídos nas categorias médica, enfermagem, odontologia, nutrição, psicologia, farmácia, educação física, fisioterapia, serviço social, biologia, medicina veterinária, biomedicina e terapia ocupacional.

 

Os residentes, preceptores, tutores e coordenadores dos cursos foram recebidos no auditório do principal do Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra) ao som da Banda de Música do Colégio Militar de Palmas Unidade I, regida pelo Maestro tenente Fábio Alves, que na oportunidade tocaram clássicos da música popular brasileira.

 

A aula inaugural realizada nesta última quinta-feira, 07, contou com a presença do secretário municipal de Saúde, Daniel Borini, da presidente da Fundação da Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Jaciela Leopoldino, da coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional do Ceulp/Ulbra (Coremu), Micheline Pimentel, e do presidente do Conselho Municipal de Saúde de Palmas, Antônio Grangeiro Saraiva.

 

Durante a cerimônia, o secretário Daniel Borini lembrou que, desde a implantação do Plano Integrado de Residências em Saúde (PIRS), vinculado à Política Municipal de Educação Permanente em Saúde (PMEPS), a rede de saúde de Palmas vem se qualificando e melhorando significativamente os serviços oferecidos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). “Sabemos da responsabilidade da gestão na formação de novos profissionais, por isso buscamos promover condições para que isso aconteça. É essencial que o profissional de saúde tenha conhecimento de como funciona a rede de saúde, o trabalho coletivo, para poder explorar toda a integralidade da rede”, observou Borini.

 

Expectativas

 

A residente do Programa de Medicina de Família e Comunidade, a tocantinense Danuta Ramos Duarte, que cursou Medicina na Universidade Federal do Tocantins e ingressa neste semestre ao curso de especialização, fala da expectativa de iniciar suas atividades na rede pública de saúde da Capital. “Moro em Palmas há dez anos, acompanho os serviços que a rede pública oferece à população.  Palmas é referência em cobertura do Programa Saúde da Família, tem 100% de cobertura, isso nos enche os olhos. A residência em Saúde da Família e Comunidade sempre me atraiu muito. Acho que por ideologia e também pela metodologia que é centrada no atendimento da pessoa e não na doença”, argumenta ressaltando que ela e sua família sempre foram SUS dependentes, então sabem a importância de uma rede de saúde pública fortalecida.

 

A nutricionista Graziela Figueiredo, que está no seu segundo ano de residência também fala da sua paixão pela atenção primária. “É imensurável as vivências diárias dentro da residência. Temos um cenário diversificado de prática dentro da rede de Atenção Primária do município, isso nos possibilita ampliar conhecimentos e crescer como profissional e também como ser humano”, observa.

 

A presidente da Fesp, Jaciela Leopoldino destacou o investimento da gestão em cursos de formação acadêmica para qualificar seus profissionais e, automaticamente, promover melhorias no atendimento à população. “Foram desenvolvidos programas com foco nas áreas de interesse institucional, mas levando em consideração desenvolver a potencialidade de cada residente, suas experiências anteriores e reforçar a contribuição particular de cada profissional com o SUS”, comentou.

 

Em sua fala, a coordenadora da Coremu,  Micheline Pimentel, falou do desafio das residências multiprofissionais na área da saúde que, para ela, é mostrar todas as potencialidades do SUS. “Acredite no programa que você está inserido e mostre que o SUS funciona e oferece um atendimento digno à população”, pediu aos residentes.

 

Como funciona

 

As residências são para graduados em Medicina, Enfermagem, Odontologia, Nutrição, Psicologia, Farmácia, Educação física, Fisioterapia, Serviço Social, Biologia, Medicina Veterinária, Biomedicina e Terapia Ocupacional. Os residentes farão a formação em diversos locais da rede municipal, mas algumas instituições atuarão como pontos centrais das aulas práticas, de acordo com especificidade do programa.

 

O programa de residência é uma parceria entre a Secretaria Municipal da Saúde, Fesp e as instituições de ensino superior Ceulp/Ulbra e Universidade Federal do Tocantins (UFT). Os cursos são credenciados pelo Ministério da Educação e têm duração mínima de dois anos. Todos os residentes recebem bolsa de estudo.

 

Novidades

 

Daniel Borini aproveitou a ocasião para anunciar o início da construção da Casa de Parto Natural, do Centro de Atendimento Psicossocial Infantil (CAPs I) e da nova sede do CAPs II. De acordo com o secretário as novas unidades também serão campos de estágios para os residentes.

 




Edição e postagem: Lorena Karlla