Oficinas sensibilizam profissionais de saúde quanto ao olhar diferenciado para envelhecimento

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 29 de outubro de 2019 às 11:35

A primeira oficina acontece nesta quarta, 30, para os profissionais de nível médio que atuam na Atenção Básica

Em busca de um olhar diferenciado por parte dos profissionais de saúde em relação à pessoa idosa, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) realizará uma série de oficinas de formação com diversos segmentos do Sistema Único de Saúde (SUS). A primeira oficina acontece nesta quarta-feira, 30, com duas turmas compostas por profissionais de nível médio, sendo uma pela manhã e outra à tarde. As oficinas acontecem no auditório da Semus.

 

 

A responsável técnica pela Saúde da Pessoa Idosa da Semus, Taísa Ribeiro, ressalta que o Brasil está passando por um processo rápido e intenso de envelhecimento. Em torno de 29 milhões de brasileiros têm 60 anos ou mais, o que equivale a 14,3% da população (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD 2015). “À medida que envelhece a população passa a apresentar um perfil epidemiológico diferenciado, caracterizado pelo aumento progressivo de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes. Mas isso não quer dizer que essa pessoa tenha que depender de outras para fazer suas atividades diárias. É importante que haja autonomia, que o processo de envelhecimento seja saudável”, pontua Taísa.

 

 

Nesse processo, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa é um instrumento fundamental para acompanhar esse envelhecimento saudável. “A caderneta possibilita o rastreio da saúde, o potencial de risco e graus de comprometimento da autonomia e independência da pessoa, permitindo o direcionamento de intervenções oportunas e adequadas a cada caso”, pondera.

 

 

Nas oficinas o objetivo é sensibilizar os profissionais sobre o envelhecimento e cuidados com saúde da pessoa idosa, desmistificar o processo de envelhecimento, apresentar a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, dialogar sobre o preenchimento da mesma, discutir sobre as violências contra a pessoa idosa e fluxos de atendimentos na rede de saúde.

 

 

Participam da primeira turma os profissionais de nível médio que compõem as Equipes de Saúde da Família: agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem e auxiliares de saúde bucal. As demais oficinas acontecerão de novembro de 2019 a maio de 2020.