Organizadores das pré-conferências de saúde destacam a importância da participação popular

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 16 de março de 2019 às 16:50

Já a Conferência Municipal de Saúde acontecerá nos dias 26 e 27 de março, no auditório Cuica, na Universidade Federal do Tocantins (UFT)  


Buscando promover gestão participativa na saúde pública, o Conselho Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de Palmas fecharam neste sábado, 16, no auditório do Parque da Pessoa Idosa Francisco Xavier de Oliveira, a quinta e última pré-conferência preparatória para a Conferência Municipal de Saúde com o tema Democracia e Saúde, programada para acontecer nos dias 26 e 27 de março, no auditório Cuica, na Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Desde o mês de fevereiro, a comunidade, trabalhadores da saúde, gestores e conselheiros de cinco regiões diferentes da cidade se reuniram para debater sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) e levar propostas que serão debatidas durante a Conferência.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Antônio Grangeiro Saraiva, acredita que as pré-conferências é o canal mais democrático entre a população e o serviço público de saúde. “A participação de todos é de suma importância para a garantia da qualidade e aperfeiçoamento do acesso aos serviços de saúde e o desenvolvimento e ampliação das ações estratégica de saúde para a população. Precisamos entender que somos parte de um sistema que precisa ser cobrado, mas bastante defendido”, frisou.

Para o secretário de Saúde de Palmas, Daniel Borini, as pré-conferências foram exitosas, pois diversos segmentos da população, dos trabalhadores e da gestão puderam expor e debater amplamente os eixos temáticos no contexto local, servindo de preparação para a Conferência Municipal de Saúde que ocorrerá no final deste mês. “Nós, enquanto gestão, estivemos presentes em todas as pré-conferências, do início ao fim, ouvindo as reivindicações, prestando esclarecimentos de forma democrática e transparente. A prefeita Cinthia Ribeiro quer um atendimento humanizado e isso parte do princípio de uma gestão democrática e transparente, que acolhe as demandas da sociedade com respeito e procura viabilizar a concretização desses anseios”, pontuou o secretário.

Em sua fala, o secretário executivo da Secretaria da Saúde de Palmas, Frederico Silvério, apresentou aos presentes o cenário do financiamento pelo poder público da saúde no Brasil. Silvério mostrou, baseado em números, como era feito o subfinanciamento do SUS, e como os recursos passaram a ser geridos.  Silvério explica que de quatro anos para cá, o sistema vem sofrendo um desfinanciamento dos recursos destinados à área da saúde, o que para ele é ainda mais preocupante.

Silvério destacou que as pré-conferências foram mais um momento da gestão apresentar um panorama da saúde em Palmas, ouvir a comunidade e até também atender algumas solicitações feitas durante os encontros.

Na sequência, a enfermeira Maria Izaura Vieira aproveitou o momento para pedir engajamento e participação efetiva durante a Conferência e também que todos fizessem uma reflexão sobre os 30 anos de história da construção do SUS. “Precisamos discutir e estabelecer diretrizes dentro da política de saúde a serem seguidas pelos gestores nos próximos anos. É imprescindível que a sociedade se faça presente na definição das políticas que deverão ser realizadas em seu benefício. Quanto mais participação, maior a possibilidade de termos uma boa quantidade de propostas elaboradas durante a conferência”, orientou.

Tanto as pré-conferências quanto a conferência são organizadas pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS) e contam com o apoio e parceria da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp).

 

 



 

Edição e postagem: Lorena Karlla