Outubro Rosa é encerrado na Capital com participação de residentes e pesquisadores da Fesp

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 03 de novembro de 2022 às 08:32

Atividades foram desenvolvidas pela Semus em USFs durante todo o mês

Durante todo o mês, residentes dos programas do Plano Integrado de Residências em Saúde (PIRS) e pesquisadores do Palmas para Todos (PPT) participaram das diversas ações promovidas pela Secretaria da Saúde nas Unidades de Saúde da Família (USFs) da Capital em que atuam. Foram realizados coletas de exame preventivo do de câncer do colo do útero (PCCU - papanicolau), testes rápidos de infecções sexualmente transmissível (ISTs), solicitação de mamografias, distribuição de camisinha, exames laboratoriais, atendimento odontológico, atualização de cartão de vacina, atividades de educação em saúde, lanche e sorteio de brindes.

A USF Valeria Martins, na Arse 122 (1206 Sul), teve programação de 4 a 26 de outubro e, com ações de educação em saúde organizadas pelas residentes Isabella Fontes, Ana Sara Salazar, Lorena Costa. Para a fisioterapeuta residente em Saúde da Família e Comunidade, Isabella Fontes, foi uma experiência muito enriquecedora. “Tivemos educação em saúde todas as semanas do mês e foi minha primeira vez à frente da organização. É gratificante poder contribuir com a população de forma direta, ainda mais na saúde da mulher”, disse. O mesmo sentimento foi evidenciado pela farmacêutica residente em Saúde da Família e Comunidade que atua na USF Morada do Sol, Ana Neta. “Participar das ações do Outubro Rosa foi uma excelente experiência. Muito gratificante poder contribuir com informações educativos para nossas assistidas”, declarou.

 

Dúvidas e mitos

A USF Alto Bonito, no Jardim Aureny IV, realizou suas ações durante todo o mês intensificando coletas e palestras de conscientização das mulheres e, no último dia da campanha, 27 de outubro, estendeu o atendimento para os três turnos (manhã, tarde e noite). A enfermeira do PPT, Andressa Alves, esclareceu que a unidade aumentou o número de vagas para a realização de coletas de PCCU e pedido de mamografias e enfatizou que as palestras foram proveitosas para tirar dúvidas e esclarecer alguns mitos sobre a saúde da mulher. "Tivemos uma usuária de 56 anos que nos relatou que nunca fez mamografia alegando que nunca teve casos de câncer de mama na família e que realizava o autoexame em casa, e por isso achava que não era necessário um exame de imagem mais aprofundado", pontuou a enfermeira Andressa, enfatizando a importância de levar educação em saúde para a comunidade.

 

Mitos
- Amamentação aumenta as chances do seio cair e criar nódulos
- Quanto mais partos via vaginal maiores as chances de ter câncer de colo de útero
- O câncer de mama só afeta quem tem histórico familiar
- Quem faz autoexame não precisa realizar mamografia
- Uso de sutiã apertados aumenta os riscos de câncer de mama

 

Texto: Redação Fesp/Palmas

Edição: Secom