Palmas 31 Anos: evolução na saúde pública é marca na história de Palmas

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 19 de maio de 2020 às 09:58

Servidoras e paciente relembram como atendimento em saúde Pública funcionava em Taquarussu do Porto, hoje Taquaruçu, quando o distrito cedeu seu território que em breve se tornaria Palmas

A saúde é uma das áreas que evoluíram significativamente nesses 31 anos de Palmas. Para relembrar a história e evolução da saúde da Capital é preciso revisitar fatos de quem viveu aquele passado ainda na antiga Taquarussu do Porto, atualmente distrito de Taquaruçu, que cedeu o próprio território para que Palmas fosse implantada, transferindo a sede administrativa do então município para a região onde hoje é a Capital.

 

Quem se lembra muito bem de como era a saúde daquela época é a auxiliar de serviços gerais Maria Dalila do Nascimento Abreu, de 62 anos, que trabalha desde 1991 no Centro de Saúde da Comunidade (CSC) Walter Pereira Morato, em Taquaruçu. Ela veio de Bacabau (MA) ainda criança e viu os serviços em saúde evoluírem do nada para um trabalho integrado e com equipe multiprofissional. “Mudou muito, o serviço foi ampliado porque o número de usuários cresceu. Está bem melhor. Cada um tinha uma ficha pessoal, não era tudo computadorizado como é hoje. Antigamente a demanda era bem pouquinha”, relembra.

 

A servidora celebra fazer parte da história da saúde de Palmas, mesmo diante da situação atípica em que o mundo passa. Por ser idosa, Maria Dalila recebeu liberação de seus serviços no CSC durante a pandemia. “Mesmo tendo que ficar em casa por fazer parte do grupo de risco, sou muito feliz por ser parte viva dessa história”, afirma.

 

Outra servidora que viu o Serviço Único de Saúde (SUS) evoluir é a agente administrativa Ana Nunes de Barros, de 55 anos, nascida em Taquaruçu. Ela foi a primeira servidora do CSC a nascer no distrito. “O posto de saúde foi implantado em 1989 e antes dessa época não tínhamos médicos presentes na unidade. Uma técnica em enfermagem fazia o atendimento da população, passava até medicação e uma vez por mês um médico visitava o posto. Até parto a gente fazia aqui. Casos graves eram mandados para Porto Nacional de carro fretado”, conta Ana.

 

Para a diretora do CSC, Valda Lopes da Fonseca, o que fez o serviço de saúde melhorar em Palmas foi a implantação do programa Saúde da Família, que garante qualidade de vida da população por meio de intervenções em fatores que colocam a saúde em risco, como falta de atividade física e má alimentação. Segundo ela, a proximidade da equipe com o paciente permite maior adesão às ações propostas pelo CSC, trazendo como resultado problemas de saúde resolvidos na atenção básica, sem necessidade de intervenções mais complexas.

 

Maria do Socorro de Moraes, de 81 anos, é prova viva de quem viu o SUS melhorar na Capital com a implantação do Saúde da Família. Em uma consulta de rotina no CSC há mais de 20 anos, o médico notou que a pressão estava alta e que ela precisaria passar por tratamento contínuo. O diagnóstico foi  confirmado após a realização de diversos exames. Até hoje a paciente é acompanhada na unidade. “Tirando isso, não tenho nada. Sou saudável e muito ativa”, diz.

 

Novas melhorias

 

No ano em que Palmas comemora 31 anos, os moradores de Taquaruçu terão uma novidade que vai melhorar ainda os serviços em saúde e o atendimento na região. O CSC Walter Pereira Morato está sendo ampliado e reformado. Um prédio novo está em fase final e será entregue nas próximas semanas para a população. Assim que o bloco for entregue, será iniciada a reforma do prédio em que o Centro de Saúde funciona atualmente.