Palmas recebe projetos de geração de energia limpa e de proteção de cursos de água no Dia Mundial do Meio Ambiente

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Georgethe Pinheiro | Publicado em 06 de junho de 2020 às 01:31

Projetos foram apresentados em solenidade no final da tarde desta sexta-feira, 05

Três importantes projetos foram lançados pela Prefeitura de Palmas nesta sexta-feira, 05, data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente. Todos os projetos têm como foco principal a preservação das fontes de geração de energia de matrizes limpas.

 

O Água Viva, lançado pela Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e que tem como meta proteger as nascentes e os olhos d´água dos córregos e ribeirões do município, assegurando à atual e às futuras gerações, a necessária disponibilidade de águas em padrões de qualidade adequados para os diversos usos.

 

Os cursos de água que receberão, primeiramente, o Programa Água Viva são o Córrego Sussuapara, Córrego Brejo Comprido, Córrego Sumidouro, Ribeirão Taquarussu Grande e Ribeirão Taquarussuzinho, sendo que a primeira atividade será no Sumidouro.

 

O Projeto e Arranjo do Parque Solar, da Secretaria Municipal Extraordinária de Assuntos Estratégicos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis (Secres), que deve ser desenvolvido no estacionamento do Centro de Convenções Arnaud Rodrigues, foi lançado já com a licença ambiental expedida pela Fundação de Meio Ambiente e tem como objetivo tornar Palmas autossuficiente na geração de energia solar.

 

A estimativa é que, com essa matriz energética, Palmas consiga uma economia de cerca de R$ 16 milhões/ano, que seriam gastos com a conta de energia e serão revertidos em ações para Educação, Saúde e Habitação.

 

Ainda entre as ações lançadas no Dia Mundial do Meio Ambiente, a FMA assinou com a Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren) um protocolo de intenções para viabilizar um estudo de viabilidade econômica para a implantação de uma usina de reaproveitamento do lixo com fins de geração de energia, empreendimento que será executado na forma de Parceria Público Privada (PPP).

 

A Usina Energética foi apresentada pelo presidente Executivo da Abren, Yuri Schmitke Almeida Belchior Tisi, que falou sobre empreendimentos da modalidade que já estão em execução no País.

 

A presidente da Fundação de Meio Ambiente, Jacqueline Vieira, ressaltou a condição privilegiada de Palmas para geração de energia limpa, como a solar, ou a de transformação do lixo.

 

Já o secretário extraordinário de Assuntos Estratégicos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis, Tiago Modesto Costa, lembrou que a energia solar tem uma fonte de geração inesgotável e que o projeto, após implantado tem um alto potencial para se manter a custos baixos.

 

A prefeita Cinthia Ribeiro comemorou o momento vivido por Palmas no que diz respeito às políticas públicas ambientais e lembrou que as ações são transversais, envolvendo as mais diversas pastas da administração municipal.

 

De acordo com a gestora, investir em matrizes energéticas limpas possibilita, inclusive, mais condições de geração de renda e destacou que inclusive pelo menos um programa habitacional de Palmas já nasceu com a geração de energia solar, para beneficiar a comunidade.