Prefeitura de Palmas capacita profissionais de saúde sobre nova plataforma ‘e-SUS Sinan Monkeypox’

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação | Publicado em 29 de setembro de 2022 às 12:26

Curso é uma parceria Fesp/Semus e tem como público-alvo rede municipal público-privada

Com o objetivo de qualificar os profissionais de saúde da Capital, sobre a nova versão do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, denominada e-SUS Sinan Monkeypox, lançada dia 19 de setembro, a Prefeitura de Palmas, por meio da parceria entre a Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) e Secretaria da Saúde (Semus), promove nesta quinta-feira, 29, até às 18 horas, no auditório da Fundação, a capacitação ‘e-SUS Sinan Monkeypox - Orientações sobre notificação e vigilância’. Uma nova turma está prevista ainda para o mês de outubro com data a ser definida. 

O curso tem como público-alvo os notificadores de hospitais da rede privada, das Unidades de Saúde da Família (USFs), das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e preceptores dos Programas de Residência do Plano Integrado de Residências em Saúde (PIRS) da Fesp, como a enfermeira preceptora do Programa de Residência Multi em Saúde da Família e Comunidade que atua na USF da Arne 53 (406 Norte), Nígima Bezerra.

“Essa maneira de integrar a Vigilância Epidemiológica com a gente que está na ponta, no atendimento ao paciente, é muito importante, pois Monkeypox é um agravo de emergência de saúde pública e estes encontros, estas capacitações são essenciais, já que além de agregar conhecimento, permitindo que a gente leve para a unidade de saúde, facilita para os demais profissionais a forma de organizar o serviço em um fluxo onde consigamos tanto acolher o usuário, quanto atender de forma adequada fazendo a notificação corretamente, e o devido encaminhamento, caso necessário. A nova ferramenta vai facilitar para coordenar o cuidado ao usuário, não é apenas a notificação, mas a partir daí, temos o monitoramento da doença a fim de evitar sua propagação”, pontuou Nígima.

Ministrado pela coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) da Secretaria da Saúde (Semus), Ana Paula Marques. “Fazer com que as pessoas conheçam melhor a doença e aprender a notificar esta nova  Emergência em saúde publica é o nosso principal objetivo, pois como a Monkeypox é uma emergência em saúde, ela é um novo agravo  no sistema na condição . Tem que ter todo um cuidado no preenchimento na notificação, tem um código a ser passado para o paciente, dentre outros tantos detalhes. Inicialmente, a Monkeypox era lançada no REDCap e o Ministério esta mudando para o e-SUS Sinan pois o mesmo servirá como piloto pois em breve os sistemas de notificação serão unificado no e-SUS Sinan ”, explicou a coordenadora.   


 

e-SUS Sinan

 O e-SUS Sinan é uma plataforma online com infraestrutura de alta performance com o objetivo de garantir agilidade no processo de notificação. Este sistema contribuirá para a democratização da informação, permitindo que todos os profissionais de saúde tenham acesso à informação e as tornem disponíveis para a comunidade. É um instrumento relevante para auxiliar o planejamento da saúde, definir prioridades de intervenção, além de permitir que seja avaliado o impacto das ações realizadas pelos gestores. A versão vigente do sistema, lançada em 19 de setembro de 2022, permite a notificação de casos suspeitos/confirmados de Monkeypox. (Com informações do Ministério da Saúde)