Prefeitura investe mais de R$ 68,6 milhões no Sistema Único de Saúde da Capital no 2º quadrimestre de 2019

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 26 de setembro de 2019 às 12:29

Investimentos foram detalhados em audiência pública na Câmara Municipal

Mais de R$ 68,6 milhões foram aplicados na Rede Municipal de Saúde de Palmas no segundo quadrimestre de 2019. Desse montante, 48,62% são recursos oriundos dos cofres públicos municipais, 43,16% recursos federais e 7,67% estaduais. Os números detalhados foram apresentados em relatório enviado à Câmara Municipal de Palmas, que na manhã desta quinta, 26, realizou a audiência pública de prestação de contas da Saúde, com a participação dos parlamentares, representantes de órgãos de controle, sociedade civil organizada e servidores do Sistema Único de Saúde da Capital.

 

O secretário Daniel Borini destacou os avanços obtidos na gestão da saúde como redução das demandas judiciais, horário estendido nas unidades e melhoria nos serviços. “No terceiro quadrimestre de 2018, tínhamos 70 casos referentes a demandas judiciais, maior parte diz respeito a medicamentos. Fechamos o segundo quadrimestre deste ano com 44 demandas. Isto porque nosso entendimento, juntamente com os órgãos de controle, buscamos resolver administrativamente, para que não cheguem às vias judiciais”, ponderou.

 

Sobre o ‘Saúde na Hora’, programa do Governo Federal que prevê o horário estendido nas unidades de saúde, Borini destacou que o projeto piloto implantado no Centro de Saúde da Comunidade Albertino Santos (Arse 101) foi bem aceito pela população que tem usufruído dos serviços no horário noturno. “O programa do Ministério da Saúde prevê que a unidade funcione até às 19 horas, mas aqui optamos por ser até às 21 horas, por entendermos que não daria tempo do trabalhador sair do serviço e chegar a tempo de ser atendido. Na prática, só nos dois primeiros meses (junho e julho) foram mais de 900 atendimentos noturnos”, ressaltou o secretário, adiantando que em outubro outras unidades iniciarão o atendimento noturno na Capital.

 

O secretário falou ainda sobre uma estratégia de atendimento implantada no CSC Jardim Taquari. “Criamos uma equipe retaguarda para atender as demandas espontâneas do setor que é muito grande, e com isso, conseguimos deixar a equipe de Estratégia de Saúde da Família exclusivamente para fazer Saúde da Família que são ações mais planejadas, de prevenção e promoção à saúde. O número de consultas na unidade aumentou 63% e melhorou os serviços prestados”, comemorou.

 

O secretário destacou ainda as obras que estão por vir, como a reforma e ampliação do CSC Walter Pereira Morato, no distrito de Taquaruçu, que inicia na próxima semana; das construções das sedes da Rede de Frios (Central de Vacinas), dos Centros de Atenção Psicossocial II e Infantil e do Centro de Parto Normal, previstas para iniciar no próximo ano.

 

Fesp

 

A presidente da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Jaciela Leopoldino, falou especificamente do trabalho desenvolvido pela instituição. “Nosso foco é o ensino-serviço-comunidade, no qual o processo de formação dos servidores do SUS acontece em serviço, e com isso, temos uma saúde mais resolutiva e usuários desfrutam de um atendimento melhor qualificado”, afirmou.

 

Atualmente, a Fesp conta com nove programas de residência Médica e Multiprofissional, com um total de 187 residentes de diferentes categorias, 70 preceptores, cinco supervisores e 22 tutores.

 

Ao final, os gestores responderam alguns questionamentos sobre aquisição de medicamentos e insumos, orçamento, organização dos serviços, entre outros.