Presidente da Confederação de Vôlei Adaptado vem a Palmas conhecer projeto ‘Vó Vôlei’

Fundação Municipal do Esporte e Lazer

Autor: Deni Rocha | Publicado em 27 de fevereiro de 2020 às 14:24

  Projeto ‘Vó Vôlei’ servirá de espelho para a Confederação


A Fundação Municipal de Esportes e Lazer (Fundesportes) recebe no dia 26 de março de 2020 o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei Adaptado (CBVA),  Lucas Rodrigo Dimarco, para conhecer o projeto ‘Vó Vôlei’, desenvolvido no Parque Municipal da Pessoa Idosa Francisco Xavier de Oliveira que oferece aulas voleibol adaptado para a terceira idade.



Na ocasião, além de conhecer o projeto, ao mesmo tempo apresentar o projeto para instituições que possam oferecer os serviços também, como Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), e outras secretarias de esportes dos municípios tocantinenses.



Segundo o presidente da Fundação Municipal do Esporte e Lazer de Palmas, Edson Mota de Oliveira, a Fundesportes busca levar tanto a modalidade quanto a confederação para atuar em parceira com outras instituições públicas ou privadas e atender um número maior de idosos. “Por meio do nosso projeto estamos conseguindo trazer a confederação para nosso estado, divulgar o projeto e atender mais pessoas que precisam se manter em atividade e melhorar a qualidade de vida”, disse, ressaltando que vai convidar potenciais parceiros que tem estrutura e forte capacidade para trabalhar com a terceira idade.



O ‘Vó Vôlei’ nasceu da parceria entre a Fundação Municipal do Esporte e Lazer (Fundesportes), a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social (Sedes) e a Federação Tocantinense de Voleibol. O projeto iniciou suas atividades em agosto de 2019 com 30 pessoas  e atualmente trabalha com capacidade máxima para 60 idosos no Parque da Pessoa Idosa.



Segundo o idealizador e coordenador de Esporte do Parque, Allan Dutra, a atividade se trata de uma modalidade de voleibol adaptado para a terceira idade, oferecida a todos os frequentadores do parque com 60 anos ou mais e que tenham atestado médico habilitando para poder praticar.



“Alcançamos nossa capacidade de atendimento, mas queremos crescer, por isso estamos convidando inclusive secretarias de esportes das cidades vizinhas, para também atuarem nessa área. Um momento muito importante para atrair a Confederação para nossa Capital”, conclui.

 





 

Edição: Lorena Karlla