Profissionais da saúde criam conteúdos interativos para manter idosos bem informados

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 07 de maio de 2020 às 11:54

Idosos recebem informações sobre como manter a saúde por meio do aplicativo WhatsApp

O Parque da Pessoa Idosa era destino certo para dezenas de pessoas com mais de 60 anos que residem na Capital, mas depois do surgimento dos primeiros casos de Covid-19 e, em seguida, a orientação dos órgãos de saúde para que as pessoas do grupo de risco ficassem em casa, o pessoal da melhor idade não pôde mais frequentar o espaço.

 

Sabendo que muitos idosos têm as atividades no Parque como opção de lazer, entretenimento, espaço de saúde e convívio com outras pessoas da mesma idade, os profissionais da saúde que são residentes do Programa de Residência Multiprofissional de Saúde da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) se reuniram e apresentaram à coordenação do Parque um projeto de intervenção para dar continuidade aos atendimentos e atividades para os idosos por meio do WhatsApp, aplicativo de celular que a grande maioria dos frequentadores possui.

 

Depois de aprovada a ideia, os residentes começaram a produzir os conteúdos em vídeo com instruções de exercícios físicos, alongamento, cuidados com a saúde, dicas e orientações sobre a prevenção do Covid-19, material de estímulo ao raciocínio, dinâmicas para melhor aproveitar o tempo em casa, palestras interativas e informações de como a rede de saúde tem funcionado.

 

A psicóloga e residente Isadora Lopes conta que em conversa com a coordenação do grupo de profissionais, que é composto por psicóloga, assistente social, enfermeira, farmacêutica e fisioterapeuta, entendeu a importância de promover interação de alguma forma com os idosos, pois parte deles é solitária e está mais fragilizada com o atual momento. “Esperamos contribuir para aliviar as tensões, a ansiedade e a tristeza devido ao distanciamento isolamento social. Muitos estavam fazendo exercícios por conta própria e corriam o risco de se machucarem. Com o material que estamos produzindo, as atividades são guiadas e adequadas para o condicionamento físico deles. No cronograma do projeto, eles também contam com atendimento multiprofissional num momento que não podem ter acesso presencial a muitos serviços de saúde”, destaca.

 

A coordenadora do Parque da Pessoa Idosa, Silvanete Mota de Oliveira, lembra que o espaço é frequentado por cerca de 240 idosos, mas está fechado desde o dia 13 de março devido à pandemia. Só que desde então, toda a equipe passou a interagir com os idosos através do aplicativo. “Quando percebemos que o parque ia parar com as atividades, organizamos os grupos do WhatsApp e acionamos os nossos parceiros para nos ajudar a fomentar os nossos idosos de informações corretas e pertinentes. Essa ferramenta tem nos ajudado bastante, pois temos consciência que trabalhamos com o público mais fragilizado com o isolamento social e com momento difícil que todos nós estamos vivendo. Com o trabalho do grupo de residentes e dos profissionais de saúde estamos levando aos idosos informações seguras e na linguagem que eles entendem”, pontuou.