Profissionais de saúde da Capital passam por capacitação sobre notificação de casos de LER/DORT

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Isis Coutinho | Publicado em 18 de novembro de 2022 às 14:24

Em termos de agravo relacionado ao trabalho, é um dos mais comuns no mundo

Fisioterapeutas e profissionais de educação física da Rede Municipal de Saúde participam nesta sexta-feira, 18, da capacitação 'Atualização em Identificação e Notificação de casos de LER/DORT’. O curso é ministrado pelo fisioterapeuta do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest Palmas) da Secretaria da Saúde (Semus) Tiago Veloso e será certificado pela Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp). A próxima turma está prevista para o primeiro trimestre de 2023.

De acordo com Veloso, as Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), ou simplesmente LER/DORT, em termos de agravo relacionado ao trabalho, são alguns dos mais comuns no mundo e, em Palmas, há uma subnotificação no registro dos casos. Desde 2009, foram registrados 138 casos, sendo 20 nos últimos cinco anos e apenas quatro em 2022. Ele explica que o objetivo é levar a capacitação a toda atenção primária e também a várias categorias profissionais da atenção especializada, a fim de combater esse déficit. 

“A ideia é que toda a equipe da rede tenha conhecimento do agravo e entenda melhor o processo de notificação, pois sabendo identificar corretamente é possível não apenas notificar, mas fazer o manejo adequado, organizar recursos e realizar o planejamento de ações de prevenção ou intervenção. O que interessa para o SUS [Sistema Único de Saúde] é saber o que anda adoecendo as pessoas no trabalho. Devemos entender que sempre vai existir contexto de esforço no trabalho, mas a gente como máquina é muito limitado. A gente não se dá bem como máquina, por isso a gente precisa de recursos mecânicos no trabalho”, esclareceu Veloso.

Para a fisioterapeuta residente em Saúde da Família e Comunidade Beatriz Araújo, que atua nas Unidades de Saúde da Família (USFs) Morada do Sol, Santa Sé e Bela Vista, foi uma excelente oportunidade para apresentar a importância da notificação de casos dos usuários que apresentam uma sintomatologia de LER/DORTs. “Essa capacitação muda a forma de olhar para o meu paciente e de tratar ele também, além das orientações para que possa ser evitado novos problemas que venham acontecer”, conclui Beatriz.