Profissionais de saúde recebem Oficina de Avaliação Neurológica Prática para diagnosticar a Hanseníase

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus/ Edição: Lorena Karlla | Publicado em 01 de dezembro de 2021 às 15:33

Evento acontece quinta e sexta-feira, 02 e 03, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde

Nestas quinta e sexta-feira, 02 e 03, respectivamente, parte dos profissionais da rede de saúde da Capital e também um grupo de residentes do Programa de Medicina de Família e Comunidade da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) participam da Oficina de Avaliação Neurológica Prática. O evento ocorrerá no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), no período das 8 às 12 horas.

A programação faz parte de mais um módulo da formação on-line promovida pelo Ministério da Saúde desde o mês de setembro passado. Na primeira etapa da capacitação foi apresentada a parte teórica, e desta vez, os profissionais receberão orientações práticas para a realização do diagnóstico e tratamento de hanseníase, identificação da doença e manejo de reações hansênicas.

A oficina será conduzida pelos fisioterapeutas e especialistas da rede, Flávia Santos Medina e Pedro Paulo dos Santos Oliveira, para cerca de 30 profissionais entre médicos, enfermeiros e residentes.

Expositivas

Durante a programação, serão repassadas orientações sobre autocuidado em hanseníase, exercícios físicos para prevenção e reabilitação, noções sobre cirurgias reabilitadoras e o compartilhamento entre os profissionais sobre os casos clínicos identificados. Ainda terão aulas expositivas, demonstração prática da técnica de avaliação do paciente, atividades práticas de avaliação e orientações de autocuidado entre os participantes e com pacientes.

De acordo com o coordenador técnico da Hanseníase, o fisioterapeuta Pedro Paulo dos Santos Oliveira, as capacitações para os profissionais já estão incluídas na rotina de trabalho do grupo, agora a intenção é reforçar a avaliação neurológica simplificada. “A capacitação é fundamental para a atuação destes profissionais na rede. Palmas hoje é uma referência nacional no diagnóstico da Hanseníase, e também tem números bastante expressivos no tocante à avaliação dos contatos, que são as pessoas que convivem diretamente no âmbito familiar das pessoas atingidas pela doença, obtendo uma porcentagem acima de 90% de contatos avaliados em todos os anos realizados pela Vigilância Epidemiológica do Agravo”, relata o coordenador.