Programa habitacional de Palmas chama a atenção de outros gestores

Secretaria de Habitação

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 18 de junho de 2021 às 19:09

Em pouco mais de três anos, Palmas conseguiu atender mais de 20% do déficit habitacional

Desde 2018, a Prefeitura de Palmas já contemplou 2.680 famílias com moradia, com mais de R$ 220 milhões em investimentos para levar dignidade aos palmenses. Isso representa uma redução de mais de 20% no déficit habitacional, e a previsão para este ano é que seja entregue mais 772 unidades.  O arrojado trabalho de cadastro habitacional, de destinação de áreas públicas e de captação de recursos, por meio do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), já desperta a atenção de gestores de outros municípios tocantinenses.

Nesta semana, a prefeita de Guaraí, Fátima Coelho, acompanhada da secretária municipal de Administração, Planejamento, Finanças e Habitação, Karina Adriana Sacramento, esteve em reunião com secretário Municipal de Habitação de Palmas, Fábio Frantz, quando foram lhes apresentadas as estratégias e processo de transparência do cadastro social implantado na Capital.

 “Estamos conhecendo iniciativas exitosas em relação aos programas habitacionais, como exemplo, captação de recursos, cadastro social, destinação de áreas e soluções que visam agilizar, aperfeiçoar e impulsionar nosso plano de moradia para Guaraí,” explicou a prefeita.

Junto com a casa própria, as famílias beneficiadas em Palmas também receberam toda infraestrutura necessária, acessibilidade, calçadas, ruas pavimentadas, sistema de água de esgoto, iluminação toda em LED e energia solar. E um projeto social em parceria com Caixa Econômica ajuda as famílias no processo de mudança e auxilia na tão importante inclusão social. Fábio Frantz destacou que mesmo com a pandemia sua equipe não mediu esforços para conseguir dar celeridade aos processos e projetos sociais.

 “O projeto social inclui palestras de como acontecerá essa mudança, direitos e deveres das famílias junto ao empreendimento, como também capacitações profissionais dessas famílias para geração de emprego e renda, e inserção no mercado de trabalho, para que possam se fixar nessas novas habitações", explica o secretário.