Projeto Germinar inicia colheita de milho nas escolas municipais

Secretaria Municipal da Educação

Autor: Redação Semed / Edição: Denis Rocha | Publicado em 21 de fevereiro de 2024 às 09:33

Cerca de 800 espigas colhidas na ETI Eurídice Ferreira de Mello serão preparadas na merenda escolar

O Projeto Germinar iniciou nesta semana a colheita de milho nas escolas da rede municipal de ensino. Em mais uma ação, o projeto propiciou, na manhã desta quarta-feira, 21, aos alunos do 9º ano, da Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Eurídice Ferreira de Mello, atividade prática do sistema produtivo rural e ainda o acesso a alimentos saudáveis produzidos e colhidos no próprio espaço da escola. Durante a atividade do dia, os alunos colheram cerca de 800 espigas de milho para serem utilizadas no preparo da merenda escolar. 

Segundo o técnico do Projeto Germinar, Bonfim dos Reis,  a colheita do milho nas unidades escolares que receberam o plantio teve início nesta semana e prossegue até a semana que vem. “Temos plantação nas unidades escolares Eurídice Ferreira de Mello, Henrique Talone, Antônio Gonçalves, Monteiro Lobato e Beatriz Rodrigues. Como o milho é utilizado para fortalecer o cardápio da merenda escolar e as unidades não consomem toda a produção de uma vez, vamos colhendo aos poucos”, afirmou.

Bonfim explica que em cada atividade do processo produtivo os alunos tiveram aulas práticas ministradas pelos profissionais do Germinar, conciliando o conhecimento adquirido na teoria com a prática diretamente no local, propiciando assim, um entendimento de todas as fases da produção, desde o que é uma semente híbrida, a importância do calcário e das adubações, como é o processo de germinação, polinização da espiga e formação dos grãos, finalizando com a colheita. 

O Projeto Germinar utiliza os espaços livres das escolas da rede municipal para a produção de alimentos que irão enriquecer o cardápio da merenda. Todas as etapas da produção, plantio, adubações de cobertura e colheita, são realizadas pelos alunos que recebem noções de cultivo e cuidado. Os locais também são utilizados como salas de aula ao ar livre, podendo comportar vivências e experiências em diversas disciplinas, sobretudo ciências naturais.