Projeto Sexualidade Responsável realiza testes rápidos em estudantes na UFT

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 01 de novembro de 2019 às 11:49

Na ocasião, foram disponibilizados preservativos e houve a realização de 100 testes rápidos de HIV, sífilis, hepatite B e C

Na última quinta-feira, 31, foi realizada mais uma ação do Projeto Sexualidade Responsável na Universidade Federal do Tocantins (UFT), com testes rápidos para detecção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e distribuição de preservativos. A ação foi realizada por técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), docentes e alunos do curso de Enfermagem.

 

O público-alvo da ação foram os jovens estudantes de diversos cursos da Universidade. Foram 100 testes rápidos para detecção de HIV, sífilis, hepatite B e C, entre as 17 e 21 horas.

 

Criado há um ano, o projeto tem o objetivo de promover a educação sobre sexualidade, abordando a prevenção das ISTs, por meio da disponibilização de preservativos nos banheiros das instituições de ensino federal e escolas, realização de palestras, ações públicas e disponibilização de testes rápidos. O projeto é desenvolvido pelo curso de enfermagem da UFT e tem como parceiros a Semus, a Associação Brasileira de Enfermagem (Aben) e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau),

 

A técnica de Saúde da Coordenação de Infectocontagiosas da Semus, Yeda Batista, explica como funciona o teste rápido. “Em caso de HIV nós encaminhamos para o nosso Núcleo de Assistência Henfil, onde será prestado todo tratamento com a equipe multiprofissional. O paciente será orientado e começará a tomar os antirretrovirais do HIV e, consequentemente, receberá o devido acompanhamento”, conclui Yeda.

 

A estudante de Nutrição, Daiane Silva, falou um pouco sobre a importância da disponibilização dos testes rápidos e também da conscientização da sociedade. “É importante para nós tanto para se prevenir quanto para passar esse conhecimento a outras pessoas que não aderem a esse tipo de prevenção devido ao preconceito, vergonha, medo. Vejo uma oportunidade de fazer esse tipo de exame e passar a informação e segurança para outras pessoas fazerem esse teste”, pontua a estudante.

 

Sintomas

O Ministério da Saúde (MS) aponta que as infecções sexualmente transmissíveis podem se apresentar por meio de sintomas como: feridas, corrimentos e verrugas anogenitais, dor pélvica, ardência ao urinar, lesões de pele e aumento de ínguas.

 

É importante observar os sintomas durante a realização da higiene pessoal para que haja a percepção rápida da infecção e, consequentemente, a busca pelo tratamento gratuito oferecido no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Segundo dados divulgados este ano pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada dia, há mais de um milhão de novos casos de infecções sexualmente transmissíveis curáveis entre pessoas de 15 a 45 anos.

 




Edição: Iara Cruz