Propostas que serão levadas à Nacional são votadas durante plenária no último dia da XI Conferência Municipal de Saúde

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 27 de março de 2019 às 18:44

Conferência acontece em agosto em Brasília


O último ciclo de debates da XI Conferência Municipal de Saúde aconteceu tarde desta quarta-feira, 23 no auditório Cuica da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Na ocasião, os participantes puderam votar as propostas e sugerir mudanças para a saúde, que agora fazem parte de um documento que será apresentado durante a Conferência Nacional de Saúde, que acontece no segundo semestre deste ano em Brasília.



Entres as propostas aprovadas está à criação da carreira nacional das equipes da estratégia de Saúde da Família, por meio de concurso público para os profissionais da saúde, como forma de fortalecer a política de educação permanente. Além do fortalecimento da política nacional de atenção à Saúde do trabalhador do Sistema Único de Saúde (SUS).



Durante os meses que antecederam a Conferência Municipal foram realizadas plenárias populares, com a participação de conselheiras e conselheiros municipais, entidades e movimentos sociais, populares e sindicais. “Os debates e a participação na etapa municipal é muito importante porque é neste espaço que conseguimos fazer valer as nossas necessidades e anseios para a melhoria da saúde em Palmas”, observou o secretário executivo da Saúde de Palmas, Frederico Silvério.



A promotora de Justiça, Roseli de Almeida que também esteve na votação, sugeriu propostas para referenciamento do atendimento de saúde, em outras localidades, quando não houver médicos especialistas para atender determinadas demandas em Palmas. “Existem consultas e procedimentos que não são ofertados na capital, os usuários do SUS, não podem ficar sem atendimento, uma vez que, para algumas especialidades médicas não existem profissionais que residam e ofereçam determinado serviço no município,  por isso é importante que esse atendimento seja referenciado para fora de Palmas quando assim houver a necessidade”, ponderou a promotora.



Também foram destaques nas discussões o aprofundamento do debate sobre as possibilidades sociais e políticas para barrar o retrocesso no campo dos direitos sociais dentro do SUS. “Essa conferência é muito importante para fortalecer as políticas públicas e é uma forma de fortalecer o espaço popular de debates”, ressaltou a residente de enfermagem Maria Krislaine de Moraes, que também participou do evento.

 



Edição e postagem: Lorena Karlla