Reta Final: Vacinação contra a Influenza segue até o dia 31 nas unidades de saúde Palmas

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 22 de maio de 2019 às 10:44

Até o momento pouco mais de 75% do público alvo foi imunizado

Faltam apenas sete dias úteis para finalizar o período da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza.  Já na sua reta final, com previsão de término para o dia 31, 75,08% do público alvo procurou as unidades de saúde e se imunizou. Mas Palmas ainda não atingiu a meta que é vacinar 100% do grupo prioritário, o equivalente a 65 mil pessoas.

 

O secretário de Saúde de Palmas, Daniel Borini, diz que a maior preocupação é com o grupo de pessoas com comorbidades, que está com uma cobertura de 60,94%, seguidos das crianças 66,51%, gestantes 66,77% e puérperas 66,78%. A melhor cobertura até o momento é dos idosos com 108.32%, professores 78,46% e trabalhadores da saúde 69,69%. “As equipes técnicas da Secretaria de Saúde já foram orientadas para aumentar a divulgação sobre o prazo da campanha, pois sabemos a importância da população a aderir à vacinação”, observa o gestor.

 

A coordenadora da Central de Vacinas de Palmas, enfermeira Elaine Katzwinkel, lembra que na Capital a vacinação está acontecendo em 32 Centros de Saúde da Comunidade (CSC) onde têm salas de vacinas, que funcionam de segunda à sexta, das 7h30 às 17 horas, e faz mais uma vez o convite para quem faz parte do grupo prioritário e ainda não se vacinou. “A vacina é importante porque evita algumas complicações causadas pelo vírus influenza, como pneumonia e doenças cardíacas. Assim, ao tomar a vacina, a pessoa não se protege apenas contra a gripe, mas evita quadros mais graves relacionados com hospitalização e morte”, orienta a enfermeira.

 

Elaine ainda explica que a recomendação do Ministério da Saúde é para as pessoas que tomaram vacina no ano passado repetir o esquema esse ano, pois a ação da vacina contra a gripe leva duas semanas para funcionar e dura cerca de nove meses. A reaplicação é necessária porque a vacina oferecida em 2019 é diferente e resguarda o organismo contra outras mutações do vírus.

 

Vale lembrar que foram incluídos para essa fase da campanha os profissionais das forças de segurança e salvamento, incluindo policiais civis, militares, bombeiros, guardas metropolitanos e agentes de trânsito.