Saiba como funciona o fumacê no combate ao mosquito Aedes aegypti

Secretaria Municipal da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 29 de junho de 2022 às 19:22

Apesar de viável contra o vetor  transmissor da dengue, zika e chikungunya, o inseticida possui baixa toxicidade para seres humanos e animais domésticos

A aplicação de inseticida com o Ultra Baixo volume (UBV), conhecido como ‘fumacê’, é uma das alternativas utilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para combater situações endêmicas de dengue, zika e chikungunya, doenças ocasionadas pela forma alada e adulta do mosquito fêmea do Aedes aegypti. O inseticida preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) para o combate a essa fase do Aedes é o Cielo, produto químico composto por Praletrina e Imidaclopride. Com essa fórmula em baixíssima dose, o defensivo é capaz de provocar espasmos, queda e morte no mosquito alvo, agindo por até 25 minutos após sua aplicação.

Segundo o MS, o produto é viável e tem baixa toxicidade para seres humanos e animais domésticos, baixo impacto ambiental, alto nível de segurança no manuseio. Além disso, ele  não é cancerígeno e não causa mutações. O Cielo é aplicado em Palmas por equipamento veicular, que circula em pontos considerados endêmicos para o mosquito, em uma velocidade de 15 quilômetros por hora, borrifando de 70 a 75 miligramas por minuto.

Em Palmas, os agentes de endemias da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ) da Secretaria Municipal da Saúde (Semus) já aplicaram mais de 600 litros do inseticida em 31 bairros e quadras da Capital, com cerca de 43 mil imóveis. O trabalho, iniciado na segunda quinzena de junho para a eliminação do mosquito, continua até o próximo domingo, 03. A programação pode ser conferida ao final deste texto.
Pelo fato da aplicação do fumacê ter como alvo somente os insetos adultos que estiverem em voo no momento da pulverização, a sua eficiência está condicionada por inúmeros fatores. A Semus reforça que apesar de eliminar as fêmeas adultas do Aedes aegypti, auxiliar no bloqueio de transmissão das doenças e, em consequência disso, poder controlar surtos, o fumacê deve estar aliado com outras ações preventivas. Os moradores devem ficar atentos aos seus imóveis, realizar vistorias semanais, removendo qualquer possível criadouro do Aedes e auxiliar, assim, no controle das arboviroses transmitidas pelo mosquito.

 

Programação de aplicação do fumacê

Dia 30/06
Manhã e tarde

Morada do Sol
Aureny II
 
Dia 01/07
Manhã - 05 às 08 horas

Arne 53 (406 Norte)
Arne 61 (504 Norte)
 
Tarde - 17 às 20 horas
Arne 74 (606 Norte)
Arso 53 (507 Sul)
 Aureny IV - manhã e tarde
 
Dia 02/07 
Manhã - 05 às 08 horas

Santo Amaro
Lago Norte
 
Tarde - 17 às 20 horas
Santa Fé 
Aureny I - Manhã e tarde
 
Dia 03/07 
Manhã e tarde
Morada do Sol
Aureny II

 

Texto: Redação/Semus

Edição: Secom/Palmas