Saúde e Prevenção foram debatidas em roda de conversa no Cras Santa Bárbara

Secretaria do Desenvolvimento Social

Autor: Redação Sedes | Publicado em 27 de março de 2019 às 18:19

As oficinas acontecem uma vez a cada mês


O Centro de Referência da Assistência Social do Santa Bárbara (Cras), realizou na nesta quarta-feira, 27, uma oficina cujo tema foi Saúde e Prevenção. O evento faz parte do calendário da unidade e se refere aos encontros mensais das famílias assistidas pelo Programa de Atenção Integral à Família (PAIF). 


As oficinas acontecem uma vez a cada mês e os assuntos discutidos em cada encontro, são escolhidos pela comunidade. Sete famílias, todas em acompanhamento pelo Cras Santa Bárbara, participaram do encontro que foi conduzido pela coordenadora do Cras, Erdileia Araujo Santana.

 

A Assistente Social Eletrisandra Rodrigues disse que o tema escolhido para este mês promoveu um debate sobre a rede de atendimento, feito em parceria com a Secretaria da Saúde, de forma especial, com as Unidades de Saúde e as equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf). “É importante que a gente trabalhe a questão do direito ao acesso aos serviços e a saúde é um direito social, estamos trabalhando todas as temáticas voltadas a uma melhor qualidade de vida para essas famílias e mostrar que a rede funciona”, enfatizou.

 

Eletrisandra destacou a atuação dos parceiros que auxiliam com as escolhas das temáticas e disse que umas das questões solicitadas para o encontro desta quarta, 27, foi sobre a tuberculose, assunto amplamente discutido entre os participantes. “Foi uma oportunidade que as famílias tiveram de falar sobre o assunto e sobre o trabalho que é ofertado aqui na unidade de saúde. Nesse sentindo, as pessoas que vão até o Cras e até a unidade de saúde são nossos aliados porque trazem essas informações e nos ajudam nas ‘buscativas’ de pessoas que estão apresentando os sintomas”, esclareceu.

 

Para a coordenadora do Cras, Erdileia Araujo Santana, esses encontros são sempre boas oportunidades para aproximação com as famílias. “Precisamos estar sempre realizando esses momentos que promovam o crescimento dos nossos usuários e ajudar a desenvolver a autonomia dessas famílias para que elas possam ter uma vida profissional e melhorando em relação a trabalho e convívio social, além de desenvolver uma visão mais global da vida”, finalizou.